Luva de Pedreiro: Fantástico exibe trechos inéditos de reportagem censurada pela Justiça

 Luva de Pedreiro: Fantástico exibe trechos inéditos de reportagem censurada pela Justiça

Imagem: Reprodução / TV Globo

Duas semanas após a entrevista ao Fantástico com Iran Ferreira ter sido censurada por Allan Jesus, ex-empresário do Luva de Pedreiro ter conseguido uma liminar na Justiça, a TV Globo, enfim, conseguiu exibir os trechos cortados no programa deste domingo (17). Além disso, a equipe de reportagem da emissora também conversou com o próprio Allan Jesus.

Trechos censurados e advogada revela tentativas de mudança no contrato

Em um primeiro momento, Iran Ferreira revela que, na época da assinatura, não sabia o conteúdo do contrato e que não sabe ler: “Eu sei lá (o que tem no contrato), nem li, eu não sei muito ler não, sou meio fraco. Eu estudei até a 7ª série e meu pai também não sabe não (ler), ele não estudou”.

A irmã do influenciador, Gabriela Ferreira Alves, revelou que Luva de Pedreiro não escrevia as legendas dos próprios vídeos: “Eu dizia: ‘você quer que eu te ajude?’. Aí ele só soltava o vídeo para eu escrever a legenda e responder. Ele não tinha essa dinâmica”.

O Fantástico também trouxe Mayra Cristina Neves de Paula, a primeira advogada de Luva de Pedreiro que reviu partes e cláusulas do contrato. Além da multa rescisória, a advogada afirmou que Iran e sua família também tinham o desejo de reduzir o tempo de contrato com Allan Jesus pela metade, o que não foi aceito.

“Por vontade do Iran, a gente apontou também a diminuição do prazo do contrato para metade, o que eles não concordaram. A gente descobriu que a multa era unilateral e a gente tentou que a multa fosse aplicada para quem descumprisse o contrato para que ficasse uma coisa mais equilibrada ainda que com o valor elevado”, explicou a advogada.

Mayra Cristina também afirmou que não houve um acordo para as mudanças nas cláusulas contratuais e o documento assinado originalmente foi mantido. “Não chegamos em uma concordância. Então não houve assinatura, nem renovação de cláusula, nem nada disso”.

Iran Ferreira detalhou ao programa que ficou nas mãos do ex-empresário e sempre que precisava comprar algo, tinha que recorrer a Allan Jesus. Além disso, Luva de Pedreiro afirmou que não sabia dos valores envolvidos, mais de R$ 2 milhões a serem recebidos em contratos de publicidade, e que não tinha conhecimento de conta jurídica.

O influenciador também reclamou da falta de liberdade em fazer o que bem desejasse: “Ele dizia tanta coisa, prometia tanta coisa e que eu não podia sair. Eu queria viver, pô. Eu estava triste, era tipo um cárcere privado mesmo”. Luva de pedreiro usou fortes palavras, chegou a dizer que se sentia um prisioneiro.

Um outro caso polêmico abordado durante a entrevista foi a placa de comemoração a 1 milhão de seguidores quando Iran atingiu a marca no YouTube. Foi um dos primeiros indícios que levou fãs do influenciador a questionar a forma como Allan Jesus administrava a carreira de Luva uma vez que Allan Jesus colocou o nome da empresa, ASJ Consultoria, no prêmio que, em tese, deveria ser pessoal.

Iran Ferreira afirmou que o craque da Seleção brasileira Neymar chegou a questionar o fato. Segundo o influenciador, Allan Jesus o obrigou a mentir para o ídolo: “Ele me falou que era pra ligar, pra mandar um áudio que eu tinha outra placa, para mentir para Neymar”.

Allan Jesus se defende

Assim como falou a Roberto Cabrini na Record TV, Allan Jesus afirmou que o motivo que o levou a entrar na Justiça com uma liminar foi ameaças de morte e ataques recebidos contra ele e sua família.

“Eu recebi várias ameaças de morte, vazaram meu dados pessoais e eu precisei pedir ajuda, precisei pedir socorro”, se justificou o empresário.

O empresário afirmou que a assinatura do polêmico contrato de agenciamento de carreira de Luva de Pedreiro foi feito em março, quando o influenciador e sua família estavam no Rio de Janeiro na sede da ASJ Consultoria. Assim como fez em outras entrevistas, Allan Jesus exibiu um áudio que teria enviado ao pai de Iran Ferreira explicando os termos do contrato e divisões percentuais de ganhos obtidos.

No entanto, revelou que não havia nenhum advogado presente quando leu o contrato à família. Allan Jesus também afirma que ao contrário do que o influenciador e seu novo empresário, o ex-jogador de futsal Falcão dizem, Luva de Pedreiro sabe ler: “Eu tive esse cuidado de explicar para todos de explicar como tudo iria funcionar. Não tinha (nenhum advogado presente), eu fiz a leitura do contrato para o Iran. Ele é extremamente inteligente, ele sabe ler”.

Allan também afirmou que o contrato feito, com multa rescisória apenas para o influenciador é o que costuma praticar quando fecha acordos: “O contrato que eu tenho com meu outro influenciador e o mesmo que tenho com o Iran. Eu acho sim (equilibrado para as duas partes)”.

O ex-empresário rebateu Luva de Pedreiro também quando foi dito que o influenciador não tinha acesso aos valores ganhos, afirmando que mesmo sem receber os valores de publicidade, comprava tudo que Iran precisasse: “Sempre que ele me pedia X, eu ia lá e dava para ele. Temos uma agenda de pagamentos que temos que seguir, temos R$ 2,2 milhões a receber em contratos. Esses contratos começam a ser pagos a partir de julho”.

Allan Jesus também afirmou que parte das ordens de pagamentos já começaram a ser recebidas e que o ex-agenciado já foi comunicado. Sobre as acusações de que tentava afastar a família do influenciador, Allan Jesus afirmou que sempre envolveu os pais nas negociações e em viagens para o Rio de Janeiro, os dois sempre estavam presentes.

O ex-empresário se explicou sobre o caso polêmico da placa do YouTube, afirmando que iria solicitar outra placa para o site, apenas com o nome artístico de Iran. No entanto, a reportagem da TV Globo entrou em contato com a plataforma que disse, em comunicado, que não era possível a solicitação de uma nova placa.

Por fim, assim como disse em outras entrevistas, Allan Jesus afirmou que acredita que Luva de Pedreiro está sendo enganado por seu novo empresário, Falcão: “Acredito que ele foi pego na promessa de dinheiro rápido, dinheiro fácil”.

O ex-jogador de futsal reafirmou a reportagem que em nenhum momento procurou Iran Ferreira para ser seu empresário, apenas procurou Iran em fevereiro para contratá-lo como influenciador para divulgar sua empresa de apostas esportivas e entretenimento, a F12.

 

 

Para mais notícias clique aqui e também nos siga nas redes sociais @maisvipoficial

 

Fonte: Metrópoles

Publicações relacionadas

X