Facebook e Ray-Ban apresentam óculos ‘inteligentes’, que fazem fotos e vídeos

 Facebook e Ray-Ban apresentam óculos ‘inteligentes’, que fazem fotos e vídeos

(Reprodução/Instagram)

As lentes podem tirar fotografias e gravar vídeos com comandos de voz, enquanto as armações podem se conectar ao Facebook, sem a necessidade de fios e cabos

O Facebook, em parceria com a renomada Ray-Ban, desenvolveu óculos inteligentes com câmeras, microfones e possibilidade de controlar música e podcasts ou atender ligações no smartphone. Os “Ray-Ban Stories” foram presentados nesta quinta-feira (9) e funcionam como se fossem um smartwatch – wearables já consagrados no mercado – que se “veste” no rosto.

A ideia não é nova, e o Facebook, não é a primeira empresa a investir em produtos do tipo. A Google chegou a produzir os “Google Glasses”, que nunca chegaram a ser vendidos oficialmente. O Snapchat, nos últimos anos, lançou duas versões dos “Spectacles”, que têm funções parecidas com os óculos em parceria com a Ray-Ban.

O objetivo do Facebook na nova empreitada é, contudo, diferente – fugir do que foi o algoz das tentativas anteriores. Isso, em outras palavras, quer dizer que o produto tenta parecer o mais comum possível, sem se apresentar como uma peça de ficção científica, mas como um artigo de moda que, por acaso, tem outras funções

Ao “New York Times”, a empresa afirmou que os “Ray-Ban Stories” serão vendidos a partir de US$ 299 – cerca de R$ 1590 em conversão direta com a cotação do dólar desta quinta-feira – e haverá 20 modelos diferentes.

O produto tem duas câmeras, dois micro autofalantes, três microfones e um processador desenhado pela Snapdragon, que produz grande parte dos chips de celulares com sistema operacional Android. Os óculos, conforme o Facebook, conseguem funcionar por seis horas com a bateria completa e vêm com uma case que os carrega via USB-C.

Para que sejam utilizados, é necessário ter uma conta no Facebook e emparelhar os óculos com o smartphone por meio do aplicativo “Facebook View”.

É possível tirar 500 fotos ou 35 vídeos com a bateria completa. A empresa alega que há criptografia protegendo as imagens, que são transferidas ao aparelho celular, e que comandos de voz – que ficam gravados – podem ser excluídos posteriormente pelo usuário.

Uma pequena luz de LED pisca na parte frontal dos óculos quando eles estão gravando vídeos ou fotografando, para evitar “problemas de privacidade”, segundo o Facebook. Não há previsão de lançamento no Brasil, por ora.

Fonte: O Tempo

Publicações relacionadas

X