Proposta de roteiro para o cicloturismo regional começa a se tornar realidade

 Proposta de roteiro para o cicloturismo regional começa a se tornar realidade

(Divulgação/Prefeitura de Timóteo)

Além de Timóteo, outros quatro municípios foram inseridos na rota que terá atrativos turísticos, culturais e históricos; a definição das cidades envolvidas ocorreu por meio de critérios técnicos segundo o Sebrae e o CTMAM

Com a finalidade de criar uma rota de cicloturismo regional que traga desenvolvimento econômico por meio da indústria do turismo e do lazer, representante do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) apresentou na manhã desta terça-feira (24) ao prefeito de Timóteo, Douglas Willkys, o diagnóstico do “Projeto de Cicloturismo do Vale do Aço”. O diagnóstico é um desdobramento das discussões que começaram em 2019 envolvendo o Sebrae, o Circuito Turístico da Mata Atlântica de Minas (CTMAM) junto ao Município de Timóteo e demais prefeituras.

Além do consultor da Regional Vale do Aço e Rio Doce do Sebrae, Alessandro Lima Challub, também estavam presentes na reunião o presidente do CTMAM, Hélio Anicio de Almeida; o vice-prefeito e secretário de Educação, José Vespasiano Cassemiro, o Professor Vespa; o secretário de Desenvolvimento Econômico e Turismo,  Hiler Felix; e o prefeito Douglas. Também fazem parte dessa ação regional, os municípios de Marliéria, Antônio Dias, Dionísio e São Domingos do Prata.

O diagnóstico que embasou o projeto foi contratado pelo Sebrae junto a especialistas da área que levantaram diversos aspectos da região.  Segundo Alessandro Challub, “a rota foi definida pelos consultores sem qualquer interferência dos órgãos envolvidos, mas com o apoio de grupos de ciclismo da região”.

Após a conclusão da fase de levantamentos ficou definido um percurso de 196,3 km passando por diversos atrativos nas cinco cidades mencionadas, como pontos históricos e turísticos tradicionais, igrejas, cachoeiras, mirantes, pousadas, hotéis e locais com produção artesanal. “Essa é uma grande chance de o Vale do Aço oferecer um produto de qualidade na área do turismo”, explicou Alessandro, acrescentando que o trabalho resultou em um estudo técnico de viabilidade de 400 páginas. Foram visitadas pousadas, alambiques, pontos de referência do turismo desses cinco municípios. A inclusão nesse roteiro levou em conta a disposição e disponibilidade dos empreendedores de participarem, ou não, dessa empreitada.

Hélio Anicio, do CTMAM, relembra que esse era um antigo sonho do grupo Turismo no Vale em criar um roteiro de passeio e visitas por meio de bicicletas. “É bom que fique claro que as cidades escolhidas ocorreu por critérios técnicos”, frisou, acrescentando que a ideia de criar um novo roteiro de Cicloturismo no Vale do Aço foi inspirado nas rotas que já estão implementadas no País e que deram certo.

 

Diversificação e desenvolvimento

Para o prefeito Douglas Willkys a rota de cicloturismo apresentada pelo Sebrae é fundamental para a diversificação da economia das cidades vizinhas, especialmente nesse novo momento que a sociedade está vivendo no pós-Covid. “A proposta deixa claro que o cicloturismo é uma atividade que contribui com o desenvolvimento de microrregiões, gerando empregos e desenvolvimento sustentável, pois o cicloturista pode utilizar serviços de hospedagem, alimentação, dentre outros atrativos de uma determinada região, otimizando o seu tempo entre as visitações”, pontuou o prefeito, que é um dos incentivadores e entusiasta da iniciativa.

Após adesão pelos cinco municípios, os próximos passos preveem o desenvolvimento do conceito do projeto, estrutura de divulgação, capacitação dos empreendedores e empreendimentos e implantação de sinalização de toda a rota.

 

Publicações relacionadas

X