Simulações de acidentes chamam a atenção na Praça da Matriz, em Santana do Paraíso

 Simulações de acidentes chamam a atenção na Praça da Matriz, em Santana do Paraíso

Corpo de Bombeiros simula atendimento em vítima de acidente com motocicleta

Evento faz parte das ações da Semana Nacional do Trânsito e foca na responsabilidade dos condutores

O município de Santana do Paraíso aderiu à campanha da Semana Nacional do Trânsito, de 18 a 25 de setembro, com um evento marcado por simulações e muita conscientização, nesta terça-feira (21/09), na Praça da Matriz, no Centro. A ação foi realizada pela 7ª Delegacia da Polícia Civil de Santana do Paraíso, em parceria com a Prefeitura. O evento contou com apoio do Corpo de Bombeiros Militar, a 45ª Cia. da Polícia Militar e do Grupo A7, empresa que levou à Praça dois simuladores, um de capotamento de veículos e outro de colisão frontal com sistema de airbag.

Alunos da rede estadual e municipal de educação de Santana do Paraíso participaram do evento. O prefeito Bruno Morato e o vice, Oliveirinha, cumprem agenda oficial em Brasília-DF e foram representados por secretários e outros servidores da Administração Municipal.

Com o tema “No trânsito, sua responsabilidade salva vidas”, a campanha nacional de 2021 visa estimular a população a adotar medidas básicas de segurança, como não consumir bebida alcoólica se for dirigir; não ultrapassar em local proibido; respeitar os limites de velocidade; usar o cinto de segurança, inclusive nos bancos de trás; revisar itens de segurança antes de viajar; não usar celular ao volante; e usar sempre o capacete, no caso dos motociclistas.

Os estudantes e os demais presentes tiveram a oportunidade de usar óculos 3D que reproduzem os efeitos do álcool, das drogas e do estresse na visão, o que pode ser fatal no trânsito. O diretor do Grupo A7, Alberto Batista, também ensinou técnicas de autorresgate, que são fundamentais nos casos de acidentes em que as vítimas não conseguem contato com o Corpo de Bombeiros, Samu ou qualquer outra instituição especialista em resgate.

Quem acompanhou o evento na Praça da Matriz assistiu a simulações de acidentes que podem ser evitados se os condutores adotarem a direção defensiva. Voluntários entraram nos simuladores de capotamento e de colisão frontal para demonstrarem os graves impactos causados pelos acidentes, com o intuito de alertar e conscientizar o público presente. O Corpo de Bombeiros ainda realizou a simulação de resgate de um motociclista acidentado.

A delegada Talita Martins Soares, que participou tanto da simulação de capotamento quanto de colisão, destacou aspectos relevantes da ação educativa desta terça. “É muito importante esse trabalho de conscientização. Por isso, a gente trouxe para a Praça um carro capotado, para as pessoas verem o risco do capotamento, uma bicicleta em que a vítima faleceu e uma motocicleta para ser usada na simulação de salvamento do Corpo de Bombeiros. Além disso, com o simulador de capotamento, mostramos a importância do cinto de segurança neste tipo de acidente e como é fundamental não deixar objetos soltos no interior do veículo, porque durante a filmagem do capotamento é possível verificar que os objetos se movimentam e podem ferir as pessoas. Além disso, o simulador de colisão frontal mostra não só a importância do cinto de segurança como também da posição da pessoa no banco, porque muitos viajam com o pé sobre o painel e, com a abertura do airbag, essa posição pode causar lesões e até mesmo matar”, destacou a delegada, que enalteceu a importância da participação de crianças no evento.

“A criança não só vai trazer uma consciência própria como também vai entender a importância de todos os mecanismos de responsabilidade, porque uma criança cobra dos adultos. Se uma criança sabe da necessidade do cinto de segurança, amanhã, quando ela entrar no carro e o adulto não colocar o cinto, ela chama a atenção. Além disso, pela legislação atual, crianças só podem andar no banco da frente a partir dos 10 anos de idade. Então essa criança vai ter essa consciência. Além disso, as crianças são futuros motoristas e são pedestres, ou seja, elas têm a responsabilidade delas também e há várias formas de promovermos a conscientização”, concluiu.

Simulação de capotamento de veículo, em que o uso de cinto de segurança pode salvar vidas

Publicações relacionadas

X