Prefeitura de Ipatinga realiza Dia D contra Hepatites Virais

 Prefeitura de Ipatinga realiza Dia D contra Hepatites Virais

Imagem: PMI

A Prefeitura de Ipatinga, por intermédio da SMS (Secretaria Municipal de Saúde), está preparando uma ação especial nas Unidades Básicas de Saúde, visando celebrar o “Dia Mundial da Luta contra as Hepatites Virais”, 28 de julho, próxima quinta-feira.

As atividades do Dia D contra as Hepatites Virais serão promovidas pelo Centro de Controle de Doenças Infectoparasitárias (CCDIP), que ofertará testagem a todos os interessados. Para participar basta comparecer na unidade localizada na avenida Zita de Oliveira n°555, antigo Restaurante Popular, munido de documentos pessoais. O atendimento será de 7h30 às 17h, por ordem de chegada, sendo os resultados dos testes disponibilizados na hora.

Haverá ainda, no mesmo dia, atendimento médico para os casos positivos, além de orientações feitas por profissionais sobre a importância da prevenção e diagnóstico precoce da doença.

Dia D

O dia 28 de julho é conhecido por ser o Dia Mundial de Luta Contra as Hepatites Virais e faz parte do Julho Amarelo. A data foi instituída pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2010, para alertar sobre a importância da prevenção e controle dessas doenças.

O Julho Amarelo é o mês de prevenção e conscientização sobre as hepatites virais (conforme a Lei federal nº 13.802, de 10 de janeiro de 2019).

Importância da vacina
A SMS reforça que a vacina para a Hepatite B está disponível rotineiramente nas Unidades Básicas de Saúde do município. A vacina é altamente protetiva, desde que as três doses recomendadas sejam administradas. Ela foi incluída no Calendário Vacinal das Crianças em 1998 e, desde 2015, está disponível para todas as idades. Contudo, no acumulado de coberturada vacina Hepatite B, entre 1994 e 2019, cerca de 68% das pessoas acima dos 30 anos de idade não estão vacinadas contra a Hepatite B no Brasil.

É importante ressaltar que para a Hepatite C não existe vacina, e a vacina de Hepatite A não está disponibilizada na rotina do calendário vacinal adulto do SUS. Então, as medidas de proteção para essas doenças devem ser mantidas, independente da vacinação HBV (vírus de Hepatite B).

“É muito importante realizar um diagnóstico precoce para avaliar a presença da doença hepática e assim obter o melhor tratamento. Quanto antes o vírus for detectado e tratado, maiores são as chances de recuperação, pois hepatite tem cura”, explica Mônica Lacerda Cevidanes, diretora do Departamento de Atenção Especializada.

Sobre a hepatite
Segundo dados do Ministério da Saúde, no Brasil, as hepatites virais mais comuns são as causadas pelos vírus A, B e C. A hepatite é um grave problema de saúde pública no País e no mundo. Trata-se de uma inflamação no fígado e pode ser causada por um vírus, abuso de álcool, drogas e uso de alguns medicamentos, além de doenças autoimunes, metabólicas e genéticas. As Hepatites B e C podem se tornar crônicas, causando cirrose e câncer hepático. Além disso, podem também causar comprometimento renal, cutâneo, hematológicos e auto-imunes.

Só a hepatite B é responsável por aproximadamente 780.000 óbitos ao ano no mundo.

Existem, ainda, os vírus D e E, este último mais frequente na África e na Ásia. Milhões de pessoas no Brasil são portadoras dos vírus B ou C e não sabem. Elas correm o risco das doenças evoluírem (tornarem-se crônicas) e causarem danos mais graves ao fígado como cirrose e câncer. Por isso, é importante ir ao médico regularmente e fazer os exames de rotina que detectam a hepatite e manter as vacinas para hepatite A e B em dia.

 

 

Para mais notícias clique aqui e também nos siga nas redes sociais @maisvipoficial

Publicações relacionadas

X