Prefeitura de Ipatinga paga rescisões atrasadas desde 2017

 Prefeitura de Ipatinga paga rescisões atrasadas desde 2017

(Reprodução/ PMI)

Município injeta mais de R$ 5 milhões na economia local
com liquidação de acertos de servidores municipais que
não estão judicializados
Em mais uma decisão que beneficia a economia municipal num
momento importante, já que o comércio conta com um movimento
mais expressivo de compras neste fim de ano especialmente em
função das dificuldades impostas ao segmento devido às restrições
da pandemia de Covid-19, a Prefeitura de Ipatinga iniciou nesta
segunda-feira (13), por meio da Secretaria de Fazenda, o
pagamento dos acertos rescisórios de servidores e ex-servidores
que estavam em aberto desde 2017.
O anúncio foi feito pelo prefeito Gustavo Nunes ao lado do
secretário de Governo, Roberto Soares, e o secretário de Fazenda,
Mateus Alves Shinzato.
Os pagamentos representam recursos da ordem de R$ 5 milhões,
englobando dispensas realizadas nos últimos quatro anos e
também ao longo do primeiro ano da atual administração. As
quitações são feitas segundo uma escala diária, a partir de dados
fornecidos pelo setor de Recursos Humanos e vai cair
automaticamente na conta cadastrada.
A Secretaria de Fazenda informa que estão excluídos do acerto
apenas os servidores com os processos judicializados, já que, em
relação a estes casos, o município obrigatoriamente precisa
aguardar todo o trâmite das demandas.
O prefeito Gustavo Nunes explica que a medida foi possível devido
a um planejamento estratégico iniciado em janeiro, quando assumiu
a chefia do Executivo, e a um austero plano de economia,
desenvolvidos em conjunto com os titulares das pastas de Governo
e Fazenda. “As demais pastas da administração municipal também
contribuíram para o equilíbrio orçamentário que possibilitou o
pagamento dos valores”, acrescentou o prefeito.

“Estamos empenhados, desde que assumimos, em realizar uma
melhor administração dos recursos públicos para o bem-estar de
toda a nossa população. Além de saldarmos essa dívida com os
servidores, destinando-lhes valores que lhes são de direito,
estamos injetando mais de R$ 5 milhões na economia, aquecendo o
comércio local”, enfatizou.
O secretário de Governo, Roberto Soares, reitera que a ação
repercute de maneira positiva, especialmente no comércio local,
uma vez que o dinheiro deverá ser gasto, em sua maioria, na
comercialização de produtos dentro da cidade. “Iniciamos nesta
segunda e seguimos até a sexta-feira (17) com o pagamento das
dívidas em atraso dos servidores. Só não poderemos pagar quem já
entrou com ação na justiça. Nesse caso, por razões legais,
precisamos aguardar a conclusão dos processos”, explicou.

Publicações relacionadas

X