Ipatinga é selecionada para ser uma das sedes do Festival Paralímpico

 Ipatinga é selecionada para ser uma das sedes do Festival Paralímpico

(Divulgação/Prefeitura de Ipatinga)

Prefeitura será responsável pela gestão do evento, que acontecerá no início de dezembro, no Parque Ipanema, em parceria com o Comitê Paralímpico Brasileiro

Foi confirmado na tarde desta quarta-feira (25) que Ipatinga será uma das dez cidades-sedes mineiras para disputas do Festival Paralímpico promovido pelo Comitê Paralímpico Brasileiro (CPB). O evento acontece no dia 4 de dezembro e a expectativa é que cerca de 7 mil crianças participem, em todo o país. Em Ipatinga, são esperados 100 participantes e a programação acontecerá no Parque Ipanema.

O Festival é destinado a crianças com algum tipo de deficiência, na faixa etária de 8 a 17 anos. Assim como na última edição, que aconteceu em 2019 (em 2020 o evento foi suspenso devido à pandemia), serão três modalidades por cada sede, sendo que as disputas se dão em horário matutino, de 8h30 ao meio-dia.

O prefeito Gustavo Nunes recebeu a confirmação como um prêmio ao município por sua histórica tradição nos esportes: “Estamos muito felizes por termos sido escolhidos como uma das sedes do Festival Paralímpico. Ipatinga sempre foi um celeiro de atletas e a atual administração olha com muito carinho para o esporte paralímpico. Tanto que, desde junho, iniciamos no Centro Esportivo e Cultural 7 de Outubro o projeto de Bocha Paralímpica, que veio se somar às atividades do também prestigiado basquete em cadeira de rodas”, ressaltou.

 

Projeto inovador

O projeto Esporte Paralímpico acontece via Lei de Incentivo, que permite que recursos provenientes de renúncia fiscal sejam aplicados em projetos das diversas manifestações desportivas e paradesportivas distribuídos por todo o território nacional. Por meio dela é que  foi implementada no município a prática sistemática da Bocha Paralímpica.

Em Ipatinga, o projeto  é capitaneado pela Prefeitura, por meio da Secretaria de Educação, e a Associação Esportiva e Educacional Vale do Aço (Asseeva), contando com o apoio da Cemig. São atendidas pessoas com transtorno do neurodesenvolvimento, portadores de paralisia cerebral, deficiência intelectual e síndrome de down.

 

Perfil prático

A bocha foi escolhida por ser um esporte com um perfil prático amplificado, que pode ser praticado por todos os tipos de alunos dentro da classificação especial, desde aqueles com limitações mais leves àqueles com um grau mais severo de dificuldade. No decorrer do projeto, os inscritos serão avaliados de acordo com suas aptidões e, assim, direcionados a outros esportes paralímpicos.

 

Basquete adaptado

O Centro Esportivo e Cultural 7 de Outubro também abriga outro projeto proveniente de Lei de Incentivo que é praticado às terças e quintas no ginásio poliesportivo Ely Amâncio, o basquete adaptado em cadeira de rodas, desenvolvido pela PMI em conjunto com a Liga Ipatinguense de Esportes Especializados (LIESPE) e Usiminas.

Publicações relacionadas

X