Ipatinga tem menor índice de internação de UTI-Covid desde o início da pandemia

 Ipatinga tem menor índice de internação de UTI-Covid desde o início da pandemia

(Divulgação/Prefeitura de Ipatinga)

Com taxas positivamente declinantes, boletim de acompanhamento diário do município registrou 40% de ocupação de leitos nesta terça-feira (10), evidenciando o acerto de estratégias locais adotadas para o combate à doença

As autoridades de saúde pública de Ipatinga e o chefe do Executivo celebraram nesta terça-feira (10) mais um indicador muito positivo como resultado do combate ao novo coronavírus. Conforme o boletim epidemiológico de acompanhamento diário, que é uma mostra sintomática da performance local nas batalhas travadas contra a doença, o município registrou o menor nível de ocupação de leitos UTI-Covid desde o início da pandemia. De um total de 63 leitos disponíveis, apenas 25 permaneciam ocupados, ou seja, 40%, algo inédito desde março de 2020.

O registro comprova o acerto das estratégias pontuais e permanentes que têm sido adotadas pela atual administração do município para reduzir gradativamente os efeitos da Covid-19 na cidade, assegurando proteção crescente à população. Além da eficiência dos trabalhos de vacinação, tanto nas UBSs quanto nos drive-thrus, a construção em tempo recorde do Hospital de Campanha, a implantação de mais leitos na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o funcionamento do Centro Especializado de Atendimento à Covid (Ceac), entre outras medidas preventivas e curativas, repercutiram de maneira impactante na minimização dos números de contaminação, internações e óbitos.

Em relação à marca agora alcançada, o prefeito Gustavo Nunes reflete: “Um dos principais fundamentos do nosso mandato é pensar nos segmentos como parte de um todo, sem nenhuma forma de exclusão, enxergando a sociedade em sentido global, tratando cada desafio de forma mais abrangente e não isoladamente. Assim é que, diante das dificuldades impostas, desde o início do governo investimos pesado em saúde, sem nunca nos esquecermos de que, em paralelo, havia um comércio muito sacrificado, penalizado à exaustão, em função das restrições. Ainda, consideramos as necessidades escolares e a angústia dos pais quanto ao presente e o futuro dos filhos, para que o ano letivo não fosse sacrificado. E é desse modo que agora estamos reativando as aulas em sistema presencial. Hoje, vemos que todo o investimento feito nos proporciona respostas agradáveis e, enfim, vamos retomando a rota do desenvolvimento para o qual nosso município é historicamente vocacionado”.

 

Mais vacinação, menos internação

O secretário de Saúde de Ipatinga, Cleber de Faria, observa que além de velocidade com que tem sido desenvolvida a vacinação contra a Covid no município, possibilitando que nesta semana o sistema local já avance para atendimento a pessoas a partir de 23 anos de idade, industriários na mesma faixa etária, “tem sido fundamental para redução dos níveis de internação o tratamento dedicado e competente oferecido por nossas equipes na atenção primária e urgência”.

Ele explica: “Não só foram reduzidas consideravelmente as internações graves por Covid-19, mas também o número geral de internações. E o tempo de permanência nos leitos tem sido positivamente reduzido. Hoje um paciente fica internado por seis dias, em média, o que era impensável há alguns meses. Isso se deve muito à atenção que é dispendida a esse paciente tanto na atenção primária quanto na urgência”, concluiu.

Publicações relacionadas

X