Ipatinga inicia com sucesso ano letivo com aulas semipresenciais

 Ipatinga inicia com sucesso ano letivo com aulas semipresenciais

Acompanhado do titular da Secretaria de Educação, Sérgio Mendes, e sua adjunta, Patrícia Avelar, o prefeito de Ipatinga, Gustavo Nunes, esteve visitando nesta segunda-feira (22) várias escolas municipais, para conferir de perto a retomada das aulas em regime semipresencial, conforme modelo referendado pelo Conselho Municipal de Educação. Em todos os estabelecimentos são observadas várias medidas de prevenção contra a covid-19, de acordo com protocolos previamente estabelecidos.

Uma das escolas visitadas foi a tradicional Altina Olívia Gonçalves, do bairro Iguaçu, com 40 anos de história, onde estudam hoje, pela manhã e à tarde, cerca de 570 alunos do 2º ao 9º ano, com idades de 8 a 14 anos. Ali o prefeito teve a alegria de encontrar entre os alunos o jovem Hauan Felipe Gonçalves, que completará 14 anos no próximo dia 3 e está cursando o 9º ano. Desenvolto e muito comunicativo, o garoto festejou o contato com o chefe do Executivo também porque, segundo ele, um de seus irmãos estudou com Gustavo.

“Eu também estudei em escola pública, e é muito gratificante ver que temos aqui um educandário exemplar e vitorioso, de onde certamente sairão ótimos cidadãos e profissionais que darão orgulho à nossa cidade” – disse o prefeito em saudação a uma das classes, para acrescentar em seguida: “Contamos com todos vocês para observarem rigorosamente os protocolos sanitários, auxiliando os professores e diretores em sua missão. Precisamos continuar evoluindo no aprendizado, crescendo a cada dia em conhecimentos, mas sempre respeitando os limites impostos pela pandemia”, observou.

Hauan confessou que antes de chegar à escola “estava com um certo medo, por causa dos perigos da covid-19, mas aqui vi que todos os cuidados estão sendo tomados e agora me sinto bastante tranquilo, sentimento que acredito também seja compartilhado pelos meus colegas”. Enquanto estava estudando em regime remoto, ele diz que se dedicou a atividades na área da computação. O diretor do educandário, Juciano Almeida, informou que a escola desenvolve um projeto pioneiro de Robótica, sendo Hauan um dos monitores do programa Altina Tech, por meio do qual, segundo ele, “há uma interação de excelentes resultados entre alunos e professores no conhecimento e prática de novas tecnologias”.

Organização primorosa

O prefeito Gustavo Nunes e os gestores da Educação também estiveram nas dependências da Escola Municipal de Educação Infantil (EMEI) Pedro Ferreira Maciel, entre o Canaã e o Bethânia, onde foram recepcionados pela diretora Delma Oliveira Silva e outros servidores que atuam na unidade. Todos deixaram o local com uma imagem muito positiva do trabalho conjunto realizado, traduzido em bom gosto de decoração, organização e cuidados preventivos adotados para garantir a segurança dos estudantes. Estão matriculados 275 alunos de pré-escola na instituição, que vão frequentar as aulas em dois turnos, de acordo com os revezamentos estabelecidos. A partir de 1º de março, também serão recebidas 80 crianças do Maternal, totalizando 355 matriculados.

Entre várias outras unidades, também entrou em funcionamento em sistema semipresencial, nesta segunda-feira (22), o EMEI Padre Efraim Solano Rocha, entre os bairros Ideal, Bom Jardim e Esperança, onde as aulas iniciaram para 230 crianças de pré-escolar, metade no turno matutino e outra metade no turno vespertino. A partir de 1º de março, será a vez de mais 100 crianças do Maternal, totalizando 330 alunos.

Conforme a diretora do EMEI, Karla Abreu dos Santos, a unidade conta com 17 professores e um total de 43 funcionários. “Todos se empenharam muito, dedicaram-se ao máximo, não mediram esforços para que pudéssemos ter uma estrutura de excelência para recepcionar os alunos”, pontuou, lembrando que na verdade a moderna edificação que sedia a escola está sendo estreada só agora pelos estudantes, já que em 2020 as aulas só funcionaram em sistema remoto.

O garoto Luiz Henrique, de cinco anos, foi o primeiro a chegar, acompanhado da mãe, a pedagoga Geisilane de Almeida Lopes, residente no Ideal. E ela contou que o filho nem dormiu à noite, de tanta ansiedade. “Não via a hora de reencontrar meus coleguinhas”, comentou o menino, sem conter a excitação na fila de entrada.

Outro muito animado era Alex Cauã Jesus Rocha, de quatro anos, levado à escola pela avó, Maria Divina. “Ele não via a hora de voltar, sonhando com esse momento”, contou ela, moradora do bairro Esperança.

Alegria e cuidados

Em várias escolas, logo na chegada os alunos foram recepcionados por grupos de músicos. Entre os muitos cuidados em relação à pandemia, os educandários contam com demarcação de distanciamento nos pisos, cartazes com orientação sobre protocolos de segurança em todos os ambientes, avisos sobre o uso obrigatório de máscaras. Na entrada, todos têm a temperatura corporal aferida, contando ainda com ‘dispensers’ de álcool em gel. Os professores e demais funcionários usam EPIs. E nos refeitórios há boxes de acrílico instalados para impedir contatos diretos.

Conforme explica a Secretaria Municipal de Educação, as adaptações feitas nas escolas não têm relação apenas com a contenção da pandemia e segurança para a saúde, mas também levaram em consideração padrões mais humanizados de acolhimento dos alunos.

Publicações relacionadas

X