Fabriciano garante R$ 3 milhões junto ao Ministério da Infraestrutura para reconstrução do viaduto no trevo da cidade

 Fabriciano garante R$ 3 milhões junto ao Ministério da Infraestrutura para reconstrução do viaduto no trevo da cidade

(Divulgação/PMCF)

Projeto prevê a elevação da altura e ampliação de pistas do viaduto; Em contrapartida, Prefeitura vai assumir trecho da BR 381 e investir R$ 1,3 milhão na obra

A Prefeitura de Coronel Fabriciano deu um importante passo na luta pela reconstrução do Viaduto Pastor Pimenta, na Avenida Tancredo Neves e sobre a Avenida Magalhães Pinto – trevo da cidade. Nessa terça-feira, 10/8, o prefeito Dr. Marcos Vinicius reuniu-se com o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes de Freitas, e obteve a garantia do investimento de R$ 3 milhões para realização das obras junto ao Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (DNIT). A contrapartida do município será de R$ 1,3 milhão.

A reunião aconteceu em Brasília (DF). Na ocasião, também foi acordado que será celebrado um convênio de transferência e delegação do trecho da BR-381 (Avenida Tancredo Neves) ao município. A municipalização do trecho era uma das condicionantes do governo federal para a liberação do recurso e já era reivindicada pela Prefeitura há mais de cinco anos. Também participaram da reunião os deputados estaduais Tito Torres (PSDB) e Celinho do Sinttrocel (PCdoB); deputados federais Domingos Sávio (PSDB) e Hercílio Diniz (MDB) e o suplente de senador Alexandre Silveira, atual presidente do PSD-MG e diretor de assuntos técnicos e jurídicos do Senado.

O prefeito Dr. Marcos Vinicius comemora a conquista. “É uma ótima notícia não só para Coronel Fabriciano como para o Vale do Aço. Com o apoio dos deputados estaduais e federais que representam a nossa região e também do diretor do Senado, Alexandre Silveira, vamos conseguir realizar uma obra importante e definitiva para resolver um problema que se arrasta por décadas”, disse.

O deputado Domingos Sávio destacou o trabalho em equipe e empenho do prefeito para assegurar os recursos necessários para a obra.  “Eu e o Dr. Marcos Vinicius estivemos, por diversas vezes, junto ao DNIT e ao Ministério de Infraestrutura para resolver esta questão. É o final feliz de uma novela com o trabalho de uma equipe em prol de Fabriciano e Vale do Aço. E a prefeitura de Fabriciano vai assumir o trecho e completar com recursos próprios para executar esta importante obra”, disse.

Alexandre Silveira, disse estar satisfeito com o resultado da reunião e poder colaborar com a pauta. “Hoje estou aqui representando o presidente do Senado (Rodrigo Pacheco) e me alegro por trabalhar de forma sinérgica com os deputados, que são atuantes em favor dos interesses de Minas Gerais e região, e com o competente prefeito Dr. Marcos Vinicius para celebrar este convênio e assegurar os recursos para esta obra”, conclui destacando que a licitação é aguardada para os próximos dias.

 

PROJETO APROVADO

A proposta elaborada pelo município – já enviada ao DNIT – contempla o alargamento das vias inferior (com abertura de 2 novas pistas na Magalhães Pinto – uma para cada sentido) e uma terceira pista na superior (1 pista extra no sentido Fabriciano-Timóteo, na Tancredo Neves) e elevação da altura do gabarito para 5 metros. A obra tem o custo estimado em R$ 4,3 milhões. O projeto do município considerou ainda que o viaduto integra a malha viária urbana, e está localizado num ponto de ligação entre os bairros e Centro, necessidade de melhorias no ponto de estrangulamento do tráfego no local.

O projeto estrutural custou R$ 80 mil e contempla todas as variantes deste tipo de obra, com topografia, sondagem, cálculos estruturais, planilha de custos, estudo de tráfego e a licença ambiental.

 

REIVINDICAÇÃO ANTIGA

Desde 2017, a atual gestão municipal tenta viabilizar, junto ao órgão federal, a reconstrução do viaduto para permitir o tráfego de caminhões de grande porte ainda feito dentro da cidade e, o mais importante, assegurar a segurança da população. O viaduto, que foi construído na década de 60, tem 3,6 metros de altura e está com a estrutura em risco devido aos veículos de grande porte que acabam “entalando” na estrutura. A norma exigida pelo DNIT é que a altura seja de no mínimo 4,5 metros, parâmetro que já estava em vigor na década de 60.

Publicações relacionadas

X