Shopping Vale do Aço permanece fechado até o dia 5 de agosto

 Shopping Vale do Aço permanece fechado até o dia 5 de agosto

Após audiência virtual de conciliação realizada nesta quarta-feira (22), entre representantes do Shopping Vale do Aço e do Ministério Público, ficou definido que o empreendimento não irá abrir as portas para o atendimento presencial pelo menos até o dia 5 de agosto quando uma nova reunião está programada. O estabelecimento está fechado há cerca de quatro meses, por força de decisão do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG).

De acordo com a assessoria de comunicação do shopping, toda a estrutura foi adequada seguindo as orientações das autoridades de saúde por meio dos mais avançados protocolos existentes, como o proposto pela Abrasce (Associação Brasileira de Shopping Centers) chancelado pelo hospital Sírio Libanês e revalidado pelo Hospital Mater Dei.

O Shopping Vale do Aço é umas das principais geradoras de empregos da região, no empreendimento 3.500 empregos divididos entre diretos e indiretos são gerados.

Entenda o caso

O Shopping Vale do Aço foi fechado no dia 21 de março, após decisão do Comitê Gestor de Crise e a consequente publicação do Decreto Municipal nº 9.281/2020, devido à pandemia da covid-19. No dia 28 de abril, teve a reabertura autorizada por meio do Decreto Municipal 9.312/2020, publicado pelo governo de Ipatinga, operando com horário reduzido e restrição de público. O Ministério Público discordou da decisão da reabertura, foi à Justiça por meio da interposição de uma Ação Civil Pública e, no dia 8 de maio, o juiz de Direito da Vara da Fazenda Pública da Comarca de Ipatinga, Luiz Flávio Ferreira, acatou um pedido de liminar e suspendeu parcialmente os efeitos do Decreto 9.312/2020 do dia 28 de abril, interrompendo as atividades no shopping, com algumas exceções. Da mesma forma, suspendeu o funcionamento dos bares e restaurantes, que estava igualmente permitido, restringindo o atendimento via sistema de entrega (delivery).

Já no dia 14 de maio, o desembargador Wilson Benevides, do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG), indeferiu a solicitação de reabertura do centro de compras que havia sido feita pela Intermall Empreendimentos e Participações – empresa que administra o shopping. Desde então, o centro de compras permanece com suas atividades suspensas, com algumas exceções, que são lojas do segmento essencial, como Consul, Petico Pet Shop, lotérica e Vacina Vale.

Publicações relacionadas

X