Homem fica seis anos com pênis no braço após infecção sanguínea

 Homem fica seis anos com pênis no braço após infecção sanguínea

Homem comemora após ter pênis removido de braço depois de 6 anos. // Imagem: reprodução The Sun

O pênis de Malcolm MacDonald caiu após uma grave infecção. Um novo membro foi enxertado no braço dele e foi transplantado ao lugar certo

 

O britânico Malcolm MacDonald, de 47 anos, teve um novo pênis reconstruído em seu braço após perder o órgão sexual original em decorrência de uma grave infecção. Após seis anos com o membro no braço, o homem passou por uma cirurgia para colocar o orgão no lugar correto.

O pênis “antigo” de MacDonald caiu no banheiro da casa dele, em 2014, após uma terrível infecção no sangue. Por causa disso, os dedos das mãos e dos pés e o pênis dele ficaram pretos.

Os médicos construíram para ele um novo membro, que originalmente deveria ser enxertado entre as pernas, em 2015. No entanto, a falta de oxigênio em seu sangue fez com que os médicos optassem por colocar o pênis no braço do paciente, de forma temporária, devido à sua qualidade e sensação de pele.

Malcolm discutiu com os cirurgiões como seria seu novo pênis, e pediu um aumento de 5 cm. O membro feito pelos médicos em seu braço foi de 15cm.

O médico que fez o tratamento para a construção de um novo pênis retirou parte do tecido do antebraço esquerdo dele e parte de uma veia da perna direita e formou o órgão com vasos sanguíneos e nervos funcionais.

Malcolm MacDonald
Reprodução The Sun

Uma mistura de atrasos para procedimentos no hospital, agravados ainda mais pela pandemia de Covid-19, fez com que o inusitado transplante – financiado pelo Sistema Nacional de Saúde (NHS, na sigla em inglês) ao custo de 50 mil libras (aproximadamente R$ 313 mil) – fosse adiado por várias vezes. O que custou seis anos do britânico, que teve que se adaptar com a nova realiadade.

Em entrevista ao jornal The Sun, em 2020, ele contou que precisou mudar hábitos para esconder o membro no braço, como vestir roupas com mangas compridas e deixar de ir à praia. Apesar disso, ele achou graça da condição, e chama o novo pênis de “Jimmy”.

“Parece algo de um estranho comediante de ficção científica. Mas é minha chance de uma vida normal. […] Foi o primeiro passo para poder ir ao banheiro e até mesmo ter intimidade com alguém.”, contou ele.

“As pessoas me perguntam sobre isso quando me vêem no bar – e é claro que fazem piadas. Mas eu entendo. Não é todo dia que você vê um homem com um pênis no braço. Claro que vejo o lado engraçado. Não tenho outra opção.” disse ao The Sun.

“Se eu não pudesse rir do willy (expressão britânica para se referir ao pênis) no meu braço eu estaria acabado”, completou.

MacDonald também relembrou que uma senhora idosa uma vez lhe pediu para pegar um item da prateleira superior de um supermercado – mas o “Jimmy” se soltou e balançou para baixo, perto de sua cabeça.

Reprodução The Sun

Se sentindo um homem de verdade

Uma nova cirurgia, agora no local certo, durou cerca de nove horas. O britânico conta toda a provação que passou em um novo documentário do Channel 4, intitulado The Man with a Penis on His Arm (O homem com um pênis em seu braço, na tradução do inglês), que vai ao ar nesta segunda-feira (2/5) no Reino Unido.

“A primeira coisa que fiz foi olhar para baixo e fiquei tipo, ‘Oh meus dias. Eles conseguiram desta vez’”, comemorou. “Eu me sinto como um homem de verdade novamente”.

Malcolm já fez uma cirurgia para pendurá-lo entre as pernas.
Nova cirurgia foi um sucesso. / Imagem: reprodução The Sun

O novo pênis foi criado pelo professor David Ralph, do University College Hospital de Londres. O especialista em reconstrução peniana fez o membro com a carne do braço do homem, a fim de dar uma aparência verdadeira ao órgão sexual.

O pênis mecânico conta com uma uretra sintética e tem ainda dois tubos infláveis e uma bomba que ficará no escroto do paciente, para encher o pênis com uma solução salina, promovendo, assim, as ereções.

Malcolm revelou que a operação pode ser “enorme” para seu futuro. “Isso pode ser um ponto de virada na minha vida”, disse.

Mesmo com um longo tratamento ainda por vir, Malcolm MacDonald se sente esperançoso e agradece por não ter mais o pênis pendurado no braço. “É algo para dizer aos netos, não é?”, diz Malcom no documentário que irá ao ar hoje (2).

 

 

Para mais notícias clique aqui. Nos siga nas redes sociais! @maisvipoficial

Publicações relacionadas

X