Brasil estuda reduzir tempo de isolamento para infectados

 Brasil estuda reduzir tempo de isolamento para infectados

Foto: Reprodução/YouTube

Objetivo do Ministério da Saúde é diminuir o prazo atual, de 14 dias. Outros países já adotaram medidas

O ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, afirmou na manhã desta sexta-feira (7), que o governo federal estuda a possibilidade de reduzir o tempo mínimo recomendado de isolamento para pacientes assintomáticos com covid-19 para cinco dias. No caso daqueles que tiverem sintomas da doença, esse período pode ser reduzido de dez para sete dias.

As declarações foram dadas em entrevista coletiva concedida por Queiroga em Brasília, ao chegar ao Ministério da Saúde. Segundo o chefe da pasta, ainda está sendo discutido essa medida.

Segundo o ministro, o Centro de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), órgão de Saúde dos Estados Unidos, já adotou a medida e recomenda o tempo mais curto de isolamento desde o mês de dezembro. Além disso, outras autoridades de saúde ao redor do mundo têm criado novas medidas sobre o tema.

“O CDC já deu essa recomendação [de tempo menor de isolamento]. O governo francês já deu essa autorização de profissionais de saúde que estão positivos de atender na linha de frente por conta do número de casos”, afirmou.

“Está sendo analisado. Possivelmente [será implementado], porque isto está sendo adotado em outros países, tem assento em evidências científicas, é possível que nós adotemos essa mesma conduta. Cinco dias, isso está em estudo pela área técnica, na Vigilância em Saúde, na Secretaria Extraordinária de Enfrentamento à Covid [Secovid]. Hoje tenho uma reunião com secretários”, concluiu Queiroga.

Publicações relacionadas

X