Novo procedimento cardiológico de alta tecnologia é ofertado no setor de hemodinâmica do HMU

 Novo procedimento cardiológico de alta tecnologia é ofertado no setor de hemodinâmica do HMU

(Reprodução/Unimed)

A associação recorrente da tecnologia e dos exames por imagem a procedimentos médicos têm garantido a qualidade de vida de pacientes e a excelência dos resultados. Uma das áreas de maior desenvolvimento é a cardiologia. Na Unimed Vale do Aço, um beneficiário foi submetido a uma angioplastia coronária com implante de stent monitorizada com um aparelho de ultrassom intravascular. O método, que foi um sucesso, contou com uma capacitada equipe assistencial.

“Esse é um procedimento comum na Unimed, na área da hemodinâmica, porém, dessa vez, fizemos a intervenção com o auxílio da ultrassonografia intravascular, para garantir o bom resultado da angioplastia. Ele auxiliou no planejamento, com a tomada das imagens intravasculares mais detalhadas. Dessa forma, é possível verificar o resultado imediato do implante” esclareceu o cardiologista e médico cooperado, Dr. Pedro Paulo, um dos envolvidos no procedimento.

Uma alternativa para o tratamento do paciente em questão seria a cirurgia cardíaca. O médico apontou as vantagens do método realizado. “A angioplastia é menos invasiva que o tratamento cirúrgico. Na cirurgia de peito aberto, é necessário o uso de circulação extracorpórea, ou seja, o sangue circulando em uma máquina. Neste tipo de cirurgia há também maior risco de infecções e outras complicações que levam a uma recuperação mais demorada. Por essa razão, a angioplastia é recomendada e nesse caso específico, houve o monitoramento com o ultrassom, sendo inserido um cateter ultrafino com um transdutor que emite ondas sonoras para a formação da imagem de alta resolução da placa aterosclerótica”, acrescentou.

O uso do ultrassom intracoronário é bastante útil para monitorização de angioplastias mais complexas, esclarecimento de mecanismos de falha no procedimento (reestenose do Stent) e para avaliação mais detalhada de lesões intermediárias no tronco da coronária esquerda (vaso principal do coração).

A equipe médica que participou do procedimento contou com três cardiologistas intervencionistas. Dr. Pedro Paulo N. de Castro, Dr. Guilherme Nascimento e o Dr. Marco Antônio Castro, além do anestesista Dr. Renato Mendes, enfermeiro Isaac e técnicos de enfermagem Alex, Wanderson e Gemerson.

Publicações relacionadas

X