Conselho de Ética aprova cassação de Arthur do Val, o Mamãe Falei

 Conselho de Ética aprova cassação de Arthur do Val, o Mamãe Falei

Imagem: Reprodução / Instagram

O Conselho de Ética e Decoro Parlamentar da Assembleia Legislativa do Estado de São Paulo (Alesp) decidiu, nesta terça-feira (12), aprovar a cassação, por unanimidade, do mandato do deputado Arthur do Val, conhecido como Mamãe Falei. A representação contra o parlamentar foi feita após a divulgação de áudios divulgados em que o deputado diz que “ucranianas são fáceis porque são pobres”.

Nos áudios, o parlamentar comparou as mulheres da Ucrânia com as paulistanas. “Essas minas em São Paulo, você dá ‘bom dia’ e elas cuspiriam na sua cara. E aqui são super simpáticas, super gente boa”, disse o deputado.

Antes da votação, o deputado Arthur do Val (União) pediu ainda uma reunião com o grupo que compõe o Conselho de Ética. A presidente do conselho, deputada Maria Lúcia Amary (PSDB) chegou a anunciar a suspensão da sessão para a reunião, mas após protestos da deputada Isa Penna (PCdoB), resolveu colocar em votação o pedido. A maioria dos membros do colegiado rejeitaram a realização da reunião.

Relator do caso, o deputado Delegado Olim (PP) se manifestou pela cassação e foi acompanhado por todos os colegas do colegiado. Agora, o processo será enviado para votação no plenário da Casa em forma de projeto de lei. Para que a cassação seja confirmada, pelo menos 48 deputados (maioria simples) precisam votar favoravelmente.

Críticas pesadas
Durante a sessão, parlamentares de diversas tendências ideológicas fizeram críticas duras a Arthur do Val. O deputado Gil Diniz (PP), conhecido como Carteiro Reaça, precisou cer contido após ser chamado o colega de “anão físico, anão moral”, “playboy”, “vagabundo” e “covarde”. O petista Teonilio Barba afirmou que ele não tem caráter, enquanto Valéria Bolsonaro (PL) disse que teve “sentimento de asco”.

Do lado de fora da sala do conselho, membros do Movimento Brasil Livre (MBL), do qual pertence Arthur do Val, protestavam e gritavam palavras em favor do parlamentar. Dentro da sala, mulheres ucranianas levavam uma bandeira do país para pedir a cassação.

 

Para mais notícias clique aqui. Nos siga nas redes sociais! @maisvipoficial

 

Fonte: O Tempo

Publicações relacionadas

X