Cleo Smith: menina australiana é encontrada viva após duas semanas desaparecida

 Cleo Smith: menina australiana é encontrada viva após duas semanas desaparecida

Cleo Smith havia sumido no dia 16 de outubro da barraca onde acampava com a família na Austrália Ocidental (Western Australian Police Force via AFP)

A criança de quatro anos foi achada sozinha em uma casa e passa bem, conforme as autoridades locais

A polícia  informou nesta terça-feira que Cleo Smith, de 4 anos, foi encontrada em boas condições de saúde. A menina havia desaparecido no último dia 16 de outubro, na Austrália Ocidental, onde acampava com a família. Os agentes divulgaram que ela estava sozinha em uma casa na localidade costeira de Carnarvon, perto de onde sumiu.

“Um dos agentes a ergueu em seus braços e perguntou, ‘Qual é o seu nome?'”, relatou o subdelegado Col Blanch em um comunicado. “Ela respondeu, ‘Me chamo Cleo'”.

A polícia deteve um homem de 36 anos, sem vínculos com a família, depois de invadir a casa de madrugada.

 

ALÍVIO

A menor foi devolvida aos pais pouco depois e sua mãe, Ellie, expressou seu alívio nas redes sociais. “Nossa família está completa de novo”, escreveu no Instagram, junto de uma foto de Cleo.

Anteriormente, Ellie Smith tinha relatado nas redes sociais a angústia que sentiu quando abriu a barraca e viu que a filha mais velha não estava lá.

Seus pedidos de ajuda desataram demonstrações de apoio em toda a Austrália. Blanch contou a uma rádio local que viu “detetives experientes chorando de alívio” após Cleo ser encontrada.

A polícia usou recursos de inteligência, imagens de câmeras de vigilância e análise forense para encontrar a menina, enquanto vários voluntários percorreram a área em busca de evidências.

 

RECOMPENSA

A polícia ofereceu um milhão de dólares australianos (750.000 dólares americanos) por informações que ajudasse a localizar Cleo, quando se temia que ela tivesse sido sequestrada da barraca onde sua família acampava em Blowholes, 1.000 km ao norte de Perth, em 16 de outubro.

O detetive Rod Wilde disse então que a investigação “nos leva a crer que foi tirada da barraca” e que havia motivos para temer por sua segurança.

A polícia elogiou nesta quarta-feira a família pela fortaleza nestas semanas e agradeceu à comunidade local e aos voluntários pela ajuda nas buscas.

Fonte: Diário do Nordeste

Publicações relacionadas

X