Mãe é suspeita de fingir doença terminal da filha por doações

 Mãe é suspeita de fingir doença terminal da filha por doações

Lindsey Abbuhl e sua filha de 11 anos Foto: Reprodução

A polícia de Ohio, nos Estados Unidos, investiga uma mulher chamada Lindsey Abbuhl, suspeita de inventar uma doença terminal para a filha de 11 anos, a fim de arrecadar doações. Com a quantia angariada, Lindsey bancou viagens, hospedagens e outros gastos.

Exames médicos recentes evidenciaram que a criança não sofre de nenhuma doença grave. A própria menina também teria revelado às autoridades que não possui nenhuma enfermidade.

Porém, Lindsey chegou a organizar eventos beneficentes, com torneios de boliche e de softbal, para o suposto “tratamento” da filha. Ela também buscou suporte psicológico da Agência de Proteção às Crianças do estado, a fim de que a menina aprendesse a “lidar com a própria morte”. Segundo informações do Daily Mail, uma ONG que se dedica a realizar os últimos desejos de crianças pagou uma viagem ao parque aquático Sea World.

Atualmente, a criança está sob custódia temporária do Departamento de Trabalho e Serviços à Família do Condado de Stark. O pai da menina, Jamie Abbuhl, não pode ficar com a guarda, pois uma decisão judicial anterior determinou que todas as visitas dele à filha deveriam ser supervisionadas pela mãe.

De acordo com Jamie, ele não tinha acesso aos registros médicos da filha, pois sua ex-esposa não o deixava participar de nenhuma decisão médica.

O pai diz que essa não é a primeira grande mentira de Lindsey. Sua ex-mulher teria inventado ainda que sofria de um tumor cerebral anos atrás e chegou a buscar pais adotivos para a menina.

ARRECADAÇÕES
A plataforma de financiamento coletivo GoFundMe disse à CNN que devolveu mais de US$ 4.000 aos doadores e retirou a página de Lindsey do ar. A organização assegurou que está trabalhando com os policiais locais em apoio à investigação.

– Arrecadação de fundos com uso indevido são muito raros, e, se houver uso indevido de fundos no GoFundMe, os doadores são protegidos, e suas doações são reembolsadas – declarou Ese Esan, gerente de comunicações da empresa.

A defesa de Lindsey afirma a inocência da cliente e garante que ela “não fez isso intencionalmente”. Seu advogado, Paul Kelley declarou que está em processo de análise da denúncia.

Fonte: Pleno News

Publicações relacionadas

X