Felipe Prior tem pedido de liberdade provisória negado

 Felipe Prior tem pedido de liberdade provisória negado

A juíza que está julgando o caso decidiu negar o Habeas Corpus preventivo de Felipe Prior em relação a investigação sobre os estupros que teria cometido antes de entrar no reality show da globo. A decisão foi tomada por falta de informações na para a análise da solicitação por parte dos advogados de defesa do ex participante do programa.

A defesa de Felipe Prior solicitou o habeas corpus com a finalidade de extinguir as denúncias de estupro feitas contra o ex-BBB e impedir sua eventual prisão.  A justificativa presente no pedido, é apontado que a punibilidade do crime já teria prescrito, já que, de acordo com a lei vigente, a vítima tem um prazo máximo de seis meses após os supostos atos para acionar o acusado judicialmente. Os casos relatados aconteceram em 2014, 2016 e 2018.

A juíza afirmou: “Com efeito, não se demonstrou a existência do inquérito policial cujo trancamento se pretende. Ao contrário do que se infere da inicial, sequer o impetrante tem certeza da existência do procedimento administrativo, tendo se limitado a afirmar que soube da instauração por meio da imprensa”

No dia 8 de abril, os advogados de Felipe Prior ingressaram com o pedido do habeas corpus preventivo na Justiça de São Paulo. No requerimento, eles informaram que não tiveram acesso ao inquérito policial instaurado pela 1ª Delegacia de Defesa da Mulher (DDM) de São Paulo para investigar o caso e que os supostos crimes teriam sido prescritos, conforme a lei 13.718, de 2018.

No entanto, a juíza explica que não pode aceitar o pedido por conta da falta de informações apresentadas pela defesa.

“Necessário, assim, que sejam prestadas informações pela d. Autoridade apontada como coautora para esclarecimento dos fatos”, escreveu. Ela também solicitou que a Polícia Civil e o Ministério Público de São Paulo apresentem as informações sobre o caso, para uma análise futura.

Fonte: notícias da tv- Uol

 

Publicações relacionadas

X