MC Davi tem carro apreendido pela PM e desabafa: ‘só porque sou preto’

 MC Davi tem carro apreendido pela PM e desabafa: ‘só porque sou preto’

 

Após ter o carro apreendido numa blitz em São Paulo, MC Davi diz que deve recuperar o veículo na próxima segunda-feira. O artista chorou no momento em que foi parado foi parado pela Polícia Militar e ter o automóvel – uma Land Rover avaliada em R$ 500 mil – levada pelos agentes. A ação, que ocorreu nesta quinta-feira, foi registrada num vídeo em sua conta no Instagram.

De acordo com Davi, os documentos, como habilitação e IPVA estavam em dia. Mas havia uma pendência em relação ao licenciamento do automóvel, que, segundo ele, “sequer sabia que existia”.

“Estou conquistando as minhas coisas agora. Ando com os documentos todos certinhos, senão nem sairia de casa. O que me disseram é que tem esse licenciamento pendente, que eu nem sabia que existia. Não sei explicar direito do que se trata. Mas foi pago hoje de manhã, e devo retirar o meu carro na próxima segunda-feira”, explica o jovem, de 22 anos, que foi parado no momento em que ia com a equipe gravar um videoclipe para uma de suas músicas.

“Disseram que havia suspeita de um roubo em relação ao carro”, completa ele.

Mas o que Davi não esquece foi da truculência que diz ter sido vítima durante a abordagem policial. Garante que não estava acima da velocidade permitida na via, que os vidros do carro não possuem blindagem, nem película e dava para enxergar quem estava guiando o automóvel.

“Viram o meu perfil, negro, cheio de tatuagens, aí me pararam. Só pediram para o meu amigo, que é branco, encostar porque ele disse que estava comigo, senão seguiria viagem. De todos policiais que estavam lá (uns quatro ou cinco), apenas um foi educado. Mostrei os documentos, tudo que eles pediram”, acrescenta o artista, que começou a gravar o vídeo para a internet ao sentir medo do que poderia acontecer. “Me senti intimidado. Você fica em choque. Tiveram preconceito”.

É a primeira vez que ele enfrenta uma situação em que sentiu medo durante uma abordagem do tipo. Mas Davi conta que é parado de forma recorrente quando circula em seu veículo. “Sou parado todos os dias. Já tive seguranças que me ensinaram que, quando isso acontecer, para eu não me alterar, apresentar todos os documentos, abaixar os vidros, mostrar tudo… Mas até esta última vez, os policiais sempre foram educados”.

Casado com uma mulher branca, o jovem acrescenta que o fato de circular por ambientes mais abastados da cidade chama atenção. “Vou ao shopping com a minha mulher e sempre vejo seguranças prestando atenção em mim quando passo pelos corredores, falam nos rádios… Eu, funkeiro, com tatuagens e de bermuda. Percebo a diferenciação, mas são aquelas coisas que a gente guarda para a gente.”

Sobre o episódio, Davi diz que até levou em consideração, mas decidiu não levar adiante. Não vai denunciar formalmente o episódio. Tem receio de represálias a partir do fato que ocorreu nesta quarta-feira. O que mais deseja é tranquilidade para continuar realizando seu trabalho. “Tenho medo do que pode acontecer. A gente não conhece o coração das pessoas, né”.

Publicações relacionadas

X