Cidades do vale do aço entram na disputa para sediar fábrica da cerveja Heineken

 Cidades do vale do aço entram na disputa para sediar fábrica da cerveja Heineken

(Reprodução/ Internet)

Nas últimas semanas, diversas prefeituras se apresentaram como opção à instalação da fábrica da Heineken em Minas Gerais após a desistência da realização do projeto na cidade de Pedro Leopoldo (MG). O investimento previsto é de R$1,8 bilhão.

Com isso algumas cidades do colar metropolitano do Vale do Aço entraram na disputa para sediar a fábrica, tais como Jaguaraçu, que já havia informado anteriormente estar em processo de elegibilidade, e também Caratinga que divulgou nesta última sexta-feira (11), nas redes sociais, um post em que se apresenta como opção.

O município de Ouro Preto também demonstrou interesse em fechar negócio com a empresa. Na última quinta-feira (10), chefes do executivo municipal se reuniu com representantes da cervejaria para tentar avançar nas negociações.  Outro município que cerca o assunto é Rio Novo, na Zona da Mata, onde fontes ligadas à prefeitura informaram que a cervejaria já pré-selecionou três cidades para instalar sua fábrica, mas os nomes são mantidos em sigilo.

Pedro Leopoldo ainda é cogitado como uma opção, mas em área diferente do projeto apresentado inicialmente, que foi vetado devido a análises sobre o impacto ambiental que causaria no local.

Um entrave ambiental foi justamente o que judicializou a instalação da fábrica em Pedro Leopoldo, fazendo com que a Heineken buscasse uma nova cidade. O empreendimento estava previsto para ser erguido em um terreno dentro da zona de amortecimento do Monumento Natural Estadual Lapa Vermelha, dentro da Área de Proteção Ambiental (APA) Carste de Lagoa Santa. A unidade de conservação abriga sítios arqueológicos e cavidades e foi onde o crânio mais antigo das Américas, de “Luzia”, foi encontrado.

Entenda o caso

A indefinição em torno da escolha da cidade que vai receber a fábrica da Heineken, em Minas Gerais, deve perdurar por, no mínimo, mais dois meses. A afirmação é do presidente da Agência de Promoção de Investimentos do Estado (Invest Minas), João Paulo Braga. O órgão do governo mineiro, ligado à Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico (Sede), atua diretamente no caso.

Em entrevista concedida ao portal O Tempo, Braga relatou que mais de 200 prefeituras apresentaram propostas à cervejaria. Neste momento, a empresa realiza uma espécie de filtro nos municípios interessados para chegar a uma decisão. “A equipe (da Heineken) está rodando alguns municípios de Minas Gerais para fazer uma análise aprofundada. Estão sendo avaliadas, principalmente, questões ambientais”, disse o presidente da Invest Minas.

“Nós temos acompanhado e fazendo chegar à empresa todas as informações. Mas existem alguns pontos de confidencialidade da empresa, que não somos comunicados”, acrescentou João Paulo Braga. Ele acredita que o caso deve se prolongar por no mínimo mais dois meses, com uma definição concreta no início do segundo semestre. “Acreditamos que todas as tratativas serão publicizadas. Sabemos que há prefeituras que negociam diretamente com a Heineken”, finalizou.

Em nota, a cervejaria desmentiu que haverá divulgação de uma lista de cidades selecionadas nesta semana. A informação foi divulgada pelo site Catalisi. “O Grupo Heineken reafirma seu compromisso com o estado de Minas Gerais. A companhia está estudando outras áreas e, tão logo seja definido, anunciará o novo local em que será instalada sua cervejaria”, informou em nota.

Publicações relacionadas

X