CENIBRA apoia projeto que gera renda para mulheres

 CENIBRA apoia projeto que gera renda para mulheres

“Tecer relações, tecer culturas e tecer fazeres”: esse é o mote da exposição “Brumal e seus encantos”, aberta ao público para visita virtual desde de 1º de abril. A coleção, que ficará exposta em ambiente online por dois anos, é composta por produtos elaborados por artistas e artesãs de Brumal, distrito de Santa Bárbara (MG) e comunidades do entorno. A produção aconteceu em oficinas online realizadas durante a pandemia. A CENIBRA apoia a iniciativa desde 2012, sendo uma das primeiras empresas patrocinadoras.

Após a permissão para reabertura do espaço, a exposição também estará aberta ao público de forma presencial, seguindo todos os protocolos de proteção contra o coronavírus, na Sala do Visitante do Parque Natural da Serra do Caraça, até o dia 30 de abril. Lá, além de apreciar as obras, os visitantes terão a oportunidade de tecer uma peça utilizando um tear mineiro de pente, liços e pedais para levar para casa como lembrança de sua visita à região. Ao findar o período de exposição no Parque, as obras serão transferidas para a Casa das Tecelãs de Brumal, onde as visitas continuarão, mediante agendamento.

Fundada por bandeirantes no início do século XVIII, a Vila de Brumal está localizada entre as serras do Caraça, Piedade e do Gandarela, fazendo parte do Circuito Entre Serras e da Estrada Real. Os produtos da exposição mesclam técnicas artesanais para representar os bens patrimoniais tombados da comunidade — como a Igreja de Santo Amaro, o casario colonial e a Cavalhada de Brumal — e diversos fazeres artesanais, criando produtos com identidade própria e com a cara da Vila.

“A CENIBRA foi a primeira parceira da iniciativa, porque desde o início acreditou que o projeto seria capaz de promover a melhoria da qualidade de vida das artesãs e de suas famílias. Temos orgulho de fazer parte de um projeto tão bem-sucedido”, disse Deuseles João Firme, assessor de comunicação corporativa e relações institucionais da CENIBRA. Como forma de apoio, a Empresa doou teares mineiros, promoveu cursos de capacitação com as artesãs e apoiou diversas exposições setoriais dos produtos.

Entre os produtos expostos na plataforma virtual, encontram-se bastidores, painéis, almofadas, cortinas e estandartes. “Na nossa concepção, os bens patrimoniais têm que ser venerados como entidades, então os estandartes são uma representação simbólica da cultura a ser resguardada e venerada”, conta a idealizadora do projeto, Dilce Mendes.

Um dos principais objetivos do projeto “Brumal e seus encantos”, do qual derivou a exposição, é fortalecer o papel da Casa das Tecelãs de Brumal que, desde 2012, reavivou a cultura da tecelagem no distrito e colocou Brumal no mapa turístico da Estrada Real. Além de ser uma difusora da cultura local, a Casa também teve papel relevante na inserção das mulheres no mercado de trabalho. “O trabalho da associação ajuda a tirar o estigma de ‘passatempo’ do artesanato e o coloca no lugar de instrumento de trabalho e geração de renda. A mulher passa a ser reconhecida como produtora da economia criativa”, explica Dilce.

Partindo do carro-chefe da Casa, o tear, os participantes das oficinas produziram peças que mesclam técnicas como crochê, bordado e cestaria, utilizando resíduos têxteis e fibras naturais, como o bambu. “A tecelagem é o fio condutor. A partir de uma técnica rudimentar, é possível construir um produto que cria um elo entre passado, presente e futuro”, complementa a idealizadora e coordenadora do projeto.

Publicações relacionadas

X