Namorada de jovem ‘estripado’ em Guarapari diz que eles ‘apagaram’ e não se lembram de nada

 Namorada de jovem ‘estripado’ em Guarapari diz que eles ‘apagaram’ e não se lembram de nada

(Reprodução)

A jovem que estava com o namorado no momento em que ele teve a barriga cortada na praia do Ermitão, em Guarapari, disse à Polícia Civil que o casal usou drogas e álcool no local. Segundo ela, os dois “apagaram” depois de usar os entorpecentes.

As declarações foram dadas pela jovem durante depoimento no final da tarde de segunda-feira (31). No boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar quando o fato ocorreu, no dia 16 de janeiro, já havia a informação de que o casal usou drogas.

“Ela relatou que os dois utilizaram, pela primeira vez, um quadradinho de papel, mas não soube informar mais detalhes por não se lembrar o que aconteceu após fazer uso da droga”, contou o advogado das famílias dos jovens, Lécio Machado.

Quadradinho de papel é uma expressão usada para se referir á droga LSD por causa de seu formato.

A Polícia Civil confirmou que a jovem prestou depoimento. Além do uso de drogas e de álcool, aos policiais também foi relatado que os fatos aconteceram na praia e que ela pediu ajuda aos vigias do Parque Morro da Pescaria, onde a praia fica localizada, por volta das 2h.

O advogado dos jovens contou que eles chegaram à Praia do Ermitão entre 20h30 e 21h30 e que acessaram o local por meio das pedras à beira-mar. Eles teriam ouvido música, bebido vinho, entrado no mar e usado a droga.

O advogado das famílias já havia declarado que o casal de jovens estava fazendo um luau na praia do Ermitão quando foi vítima de um ataque praticado por terceiros.

O casal, que mantém um relacionamento há cerca de um ano, estava no local para comemorar uma viagem de estudos que o rapaz faria para o exterior.

O advogado confirmou a veracidade de uma imagem que circula nas redes social e mostra o estudante falando em um grupo sobre o ataque.

“É óbvio que todas essas histórias são mentira. O que houve foi uma tentativa de latrocínio. Machucaram a menina que estava comigo e também me feriram muito no rosto e me cortaram o abdômen”, diz parte da mensagem.

Advogado confirmou a veracidade de uma imagem que circula nas redes social e mostra o estudante falando em um grupo sobre o ataque — Foto: Reprodução/TV Gazeta

Publicações relacionadas

X