Governo federal recusa ajuda humanitária da Argentina para socorro às vítimas das chuvas na Bahia

 Governo federal recusa ajuda humanitária da Argentina para socorro às vítimas das chuvas na Bahia

(Reprodução/ O Dia)

De acordo com a Defesa Civil do estado baiano, a decisão do Ministério das Relações Exteriores comunicou ao consulado argentino na noite desta quarta-feira, 29

O governo federal recusou a ajuda humanitária oferecida pela Argentina para o socorro às vítimas das enchentes e temporais que atingem a Bahia. De acordo com a Defesa Civil do estado baiano, a decisão do Ministério das Relações Exteriores comunicou ao consulado argentino na noite desta quarta-feira, 29.

O país vizinho ofereceu envio de profissionais especializados em áreas de água, saneamento, logística e apoio psicossocial para vítimas da tragédia causada pelas fortes chuvas.

No comunicado de recusa da ajuda argentina, o governo brasileiro agradeceu o apoio, mas afirmou que a crise na Bahia está “sendo enfrentada com a mobilização interna de todos os recursos financeiros e de pessoal necessários”.
De acordo com o governo baiano, o Ministério das Relações Exteriores chegou ainda informar que “na hipótese de agravamento da situação, requerendo-se necessidades suplementares de assistência, o Governo brasileiro poderá vir a aceitar a oferta argentina de apoio da Comissão dos Capacetes Brancos, cujos trabalhos são amplamente reconhecidos”.
Nesta quarta-feira, o governador da Bahia, Rui Costa (PT), chegou a agradecer a ajuda humanitária do país argentina em uma rede social e pediu agilidade do governo federal para autorizar o auxílio internacional.
“Meu agradecimento ao governo argentino pela oferta de ajuda humanitária às vítimas das enchentes na Bahia, em especial ao embaixador Daniel Scioli, ao cônsul-geral na Bahia, Pablo Virasoro, e à presidente da comissão nacional dos Capacetes Brancos, a embaixadora Sabina Frederic”, escreveu ele.
O governador explicou que o país vizinho ofereceu envio imediato de uma missão com dez profissionais. Isso inclui, por exemplo, a oferta de comprimidos para potabilização de água.
“Com a união de esforços, vamos superar este difícil momento. Agora, a missão argentina aguarda a autorização do Ministério das Relações Exteriores para que possam vir à Bahia. Agradeço aos argentinos e peço ao governo federal celeridade na autorização para a missão estrangeira”, afirmou Costa.
Nesta quarta, o governador fez uma publicação em crítica a ausência do presidente Jair Bolsonaro (PL) no Estado, diante da tragédia ocasionada pelas fortes chuvas. Sem citar o nome do mandatário, o político usou sua rede social para dizer que “governar é cuidar de gente e não há como fazer isso longe das pessoas”.
“Estou no sul da Bahia desde domingo, visitando as cidades atingidas pelas fortes chuvas e posso afirmar que e o estrago vai além das sedes das cidades e das casas (…). À medida em que faço essas visitas, vou identificando, junto com a equipe técnica, as necessidades que envolvem limpeza das ruas, desapropriação de áreas para novas casas, além do acolhimento às pessoas”, acrescentou o governador.
Fonte: O Dia

Publicações relacionadas

X