COVID-19: vereadores de BH rejeitam moção de aplausos a Bolsonaro

 COVID-19: vereadores de BH rejeitam moção de aplausos a Bolsonaro

Os integrantes da Câmara Municipal de Belo Horizonte rejeitaram, nesta terça-feira, uma moção de aplausos ao presidente Jair Bolsonaro (sem partido) por sua “atuação exemplar e valorosa” ante a pandemia do novo coronavírus. Foram 16 votos contrários ao requerimento. Outros oito vereadores se manifestaram favoravelmente.

Houve, ainda, quatro abstenções. Além deles, 13 parlamentares não registraram seus votos. Wesley Autoescola (Pros), Jair Di Gregório e Fernando Luiz — ambos do PSD — apresentaram a moção.

A análise ocorreu de modo nominal. Ou seja: cada vereador precisou registrar, por meio do sistema eletrônico de votação, o “sim” ou o “não” à proposta. A sugestão foi feita por Pedro Patrus e Arnaldo Godoy, ambos do PT.

O debate em torno do requerimento dividiu opiniões. Para justificar a homenagem, Wesley Autoescola citou medidas tomadas pelo governo federal, como a concessão do auxílio emergencial de R$ 600. “Como não aplaudir?”, questionou. Pedro Patrus, por outro lado, disse que, se o aval fosse dado, a Câmara passaria por uma “vergonha histórica”.

Ao comentar o placar da votação, Jair Di Gregório criticou parlamentares que não votaram favoravelmente à proposta.

“A gente pôde ver, agora, quem caminha com Bolsonaro, quem não caminha e quem fica em cima do muro. O Jair Bolsonaro vai vir até Belo Horizonte e estarei na comitiva dele. Quando eu ver um vereador que votou contra ele ou ficou em cima do muro, direi ‘aquele ali é traíra, não gosta do senhor’”, afirmou.

Pedro Patrus comemorou o resultado. “A Câmara Municipal demonstrou ter critérios e juízo. Hoje, Belo Horizonte dorme com mais tranquilidade”, opinou.

A moção foi impugnada à época de sua apresentação, em maio. O pedido também partiu de Patrus. Por isso, a homenagem foi analisada nesta terça.

Fonte: Estado de Minas

Publicações relacionadas

X