Bolsonaro quer “rebelião armada contra medidas sanitárias”, diz Moro

 Bolsonaro quer “rebelião armada contra medidas sanitárias”, diz Moro

O ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sérgio Moro, afirmou nesta segunda-feira (1), que o presidente da República, Jair Bolsonaro, queria “promover uma espécie de rebelião armada” em meio à crise mundial do coronavírus.

A declaração de Moro acontece em resposta a Bolsonaro que declarou, em conversa¹ com apoiadores na manhã desta segunda (1), que o ex-juiz “ignorou decretos meu e ignorou lei, para dificultar a posse e o porte de arma de fogo para cidadão de bem”.

Moro respondeu a afirmação do presidente, explicando que Bolsonaro desejava armar a população para se rebelar contra prefeitos e governadores que se opõem às medidas de flexibilização sugeridas pelo chefe do Executivo.

“Sobre políticas de flexibilização de posse e porte de armas, são medidas que podem ser legitimamente discutidas, mas não se pode pretender, como desejava o presidente, que sejam utilizadas para promover espécie de rebelião armada contra medidas sanitárias impostas por governadores e prefeitos, nem sendo igualmente recomendável que mecanismos de controle e rastreamento do uso dessas armas e munições sejam simplesmente revogados, já que há risco de desvio do armamento destinado à proteção do cidadão comum para beneficiar criminosos.”

O ex-ministro ainda classificou como “medida irresponsável” uma possível “revogação pura e simples desses mecanismos de controle”.

“Sobre a ofensa pessoal feita, meu entendimento segue de que quem utiliza desse recurso é porque não tem razão ou argumentos”, finalizou o ex-juíz.

 

Publicações relacionadas

X