Bolsonaro critica governadores por descumprirem decreto: “autoritarismo”

 Bolsonaro critica governadores por descumprirem decreto: “autoritarismo”

O presidente Jair Bolsonaro usou as redes sociais nesta terça-feira (12), para criticar governadores que se manifestaram pelo descumprimento do decreto assinado por ele, que incluiu academias, salões de beleza e barbearias na lista de atividades consideradas essenciais.  

Em sua conta oficial no Facebook, o presidente declarou que “alguns governadores se manifestaram publicamente que não cumprirão o Decreto n°10.344/2020” e sugeriu que estes procurassem a Justiça ou o Congresso. A medida, entretanto, é contrária à do Supremo Tribunal Federal (STF), que garantiu, no dia 15 de abril, para prefeitos e governadores a autonomia para decidir sobre a adoção de restrições e orientações de distanciamento social de acordo com a realidade local.

Bolsonaro escreveu em seu Twitter. “Os governadores que não concordam com o decreto podem ajuizar ações na justiça ou, via congressista, entrar com Projeto de Decreto Legislativo”, disse. Para Bolsonaro, contrariar o decreto presidencial “aflora o autoritarismo”. “O afrontar o estado democrático de direito é o pior caminho, aflora o indesejável autoritarismo no Brasil”, disse. E justificou: “Nossa intenção é atender milhões de profissionais, a maioria humildes, que desejam voltar ao trabalho e levar saúde e renda à população”.

Quando esteve no STF, Bolsonaro avisou que assinaria outros decretos para ampliar o rol de atividades essenciais. No mesmo dia, construção civil e a indústria foram incluídos no decreto presidencial. 

Publicações relacionadas

X