Segundo polícia, autor de atentado de SC era problemático

 Segundo polícia, autor de atentado de SC era problemático

Fabiano Kipper Mai, de 18 anos Foto: Reprodução

Fabiano Kipper Mai, de 18 anos, autor do ataque que resultou na morte de cinco pessoas em uma escola infantil em Saudades, no estado de Santa Catarina, foi definido pela polícia como um jovem quieto e “problemático”.

De acordo com informações do portal UOL, Fabiano sofria bullying e, por isso, já não queria ir à escola.

O delegado Jerônimo Marçal Ferreira, que está responsável pelo caso, depoimentos de familiares e pessoas próximas ao jovem ajudaram a polícia a formar o perfil inicial dele, que estava no Ensino Médio e trabalhava em uma empresa da cidade.

– Um rapaz problemático, e quem relatou isso foram pessoas próximas a ele, ele vinha enfrentando bullying na escola, vinha maltratando alguns animais, muito introspectivo, quietão, na dele. Aquele perfil de jovem que se tranca no quarto e ninguém sabe o que está fazendo no computador. Gostava de jogos online, alguns jogos com violência – disse Marçal.

Relatos ouvidos pela polícia indicaram que o autor do ataque tinha alguns problemas dentro de casa. Ele não tinha celular, nem namorada e, nos últimos dias, havia se afastado dos poucos amigos.

Fabiano também gostava muito de usar o computador, era adepto dos jogos online e tinha histórico de maus tratos a animais.

A Polícia Civil de Santa Catarina investiga o caso. Ainda não há conhecimento de desavenças ou problemas pessoais do jovem que o levassem a cometer o ataque. Ele não teria ligação com os profissionais da creche nem com as crianças. As forças de segurança querem descobrir o que teria motivado o ataque.

INTERNADO
O jovem está internado em estado gravíssimo, segundo o mais recente boletim médico. Ele tentou suicídio após matar três crianças, uma professora e uma funcionária.

Fabiano foi levado inicialmente para o Hospital Regional de Pinhalzinho, cidade que fica a 11km do local do ataque. Porém, por questão de segurança, ele acabou sendo transferido para outra casa de saúde, em Chapecó. Segundo a direção do Hospital de Pinhalzinho, a transferência ocorreu em razão de temor de invasão do local para linchamento de Fabiano.

A Polícia Civil de Santa Catarina investiga o caso. Ainda não há conhecimento de desavenças ou problemas pessoais do jovem que o levassem a cometer o ataque. Ele não teria ligação com os profissionais da creche nem com as crianças.

O CASO
A creche Pró-Infância Aquarela foi invadida por Fabiano por volta das 9h30 na manhã de terça-feira (4). Saudades tem apenas 10 mil habitantes e fica no extremo oeste de Santa Catarina. Segundo informações da Polícia Civil de Santa Catarina, o jovem usou uma adaga para desferir os golpes.

Entre as vítimas, estão a professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos; a agente educadora Mirla Renner, de 20 anos; e três crianças menores de 2 anos.

A governadora em exercício de Santa Catarina, Daniela Reinehr (sem partido), decretou luto oficial de três dias no estado.

Fonte: Pleno News

Publicações relacionadas

X