brunof

Coluna do Bruno Freire

Coluna Opinião

brunof

Coluna do Bruno Freire

“As Ondas” e “os Egos”

 “As Ondas” e “os Egos”

Está muito claro que temos uma “guerra política” no meio de uma PANDEMIA cruel e assassina.

Tivemos mais de um ano para “organizar a casa” e preparar o sistema de saúde do país. Dinheiro não faltou, mesmo assim temos que lidar ainda com “as ondas”. Fecha, abre, fecha, quebra empresa, morre gente. UM CAOS.

Mas que ondas são essas?

No Vale do Aço, temos um cenário mais favorável nesse momento. Depois do “tapa na cara” que foi a ONDA ROXA, ao que parece, os prefeitos das quatro maiores cidades, querem manter o comércio funcionando e segundo informações de bastidores, estão otimistas com a vacinação e seguros de que a pandemia vai passar nos próximos meses.

Quem decide, de cima a baixo, as vezes briga como se estivessem numa sala de aula da oitava série. Discussões muitas vezes inúteis, sempre buscando a “lacração” nas redes sociais e a popularidade junto a “seus gados”. Fazendo isso, esses senhores que tem o poder de decisão, só nos atrasam na saída da pandemia.

O antes “unanime” Sr. Jair Bolsonaro, perdeu o timing junto a alguns grupos políticos que se elegeram às custas de seu sucesso nas mídias sociais em 2018 e agora segue sua caminhada em meio aos 30% da população que aplaude tudo que ele faz.

O antes “morto politicamente” Sr. Lula, ressurge das cinzas com chances presidenciáveis para 2022 e bagunça tudo, desde a bolsa de valores aos investimentos estrangeiros no brasil. Vira foco central nas conversas de botequins e igrejas que continuaram funcionando mesmo que as escondidas nos últimos meses.

O antes “promessa meteórica” Sr. João Dória, errou feio na comunicação (logo ele), e hoje acumula ódio e rejeição principalmente nas redes sociais. Atacado constantemente pelos apoiadores de Lula e Bolsonaro, o que se auto denomina “João Trabalhador” não consegue lacrar e nem mesmo com os bons resultados da CORONAVAC que ele tanto insiste em dizer que é a VACINA DE SÃO PAULO. Talvez aí está o erro. Fazendo isso, João perdeu até mesmo o consenso se seu partido PSDB, que estuda outros nomes para a disputa em 22 ou até mesmo não ser cabeça de chapa.

O governador de Minas que era tido como “promessa”, derrapa em suas ações e demonstra fraqueza além de estar muito perdido até mesmo nas suas declarações. Ao tirar o poder dos prefeitos de decidirem que “onda seguir” nas cidades, o Sr. Zema não foi firme como é em seus negócios de sucesso no grupo que leva seu nome. Assim, mesmo com ONDA ROXA, tudo seguiu aberto e sem a fiscalização dos municípios, o que provou que o governador fez meio que “papel de palhaço” com um decreto que não funcionou, aliás, nem passou perto disso.

O Prefeito de BH, Sr. Alexandre Kalil, ou chamado por muitos de “el loco Kalil”, é um lacrador nato. Com declarações polêmicas, em suas coletivas com muita audiência, o prefeito que tem uma personalidade forte, visivelmente está escalando uma tentativa de se tornar Governador do Estado. A quem diga, que com tanta visibilidade brasil a fora, ele pode vice de Lula na disputa presidencial. Mas o mais certo, é que Alexandre Kalil, se candidate a Governador e dispute com Romeu Zema.

Já Marcos Vinícius, também polêmico e incisivo em suas declarações, em suas lives com boa audiência, continua com suas críticas polemicas e cada vez mais pesadas ao Governo do estado e o prefeito da capital mineira. Há quem diga, que “Marcão”, que durante a pandemia sempre esteve com uma popularidade em alta e crescendo principalmente nas redes sociais, vá ser candidato ao governo do estado. Será?!

Enquanto as eleições de 22 não chegam, seguimos no meio desse “fogo cruzado” que são as declarações dos políticos lacradores do Brasil. Algumas pessoas são enfáticas em dizer, que a COVID 19 no Brasil só passa depois de novembro de 2022.

Publicações relacionadas

X