Boris Casoy detona cultura do cancelamento: ‘coisa idiota’

 Boris Casoy detona cultura do cancelamento: ‘coisa idiota’

Boris Casoy detona a “cultura do cancelamento” Foto: Reprodução/TV Cultura

Boris Casoy detonou a “cultura do cancelamento”, uma expressão moderna para designar o ostracismo no qual pessoas com atitudes questionáveis e inadequadas são colocadas, sobretudo por usuários de redes sociais.

Para o jornalista, trata-se de “uma das coisas mais idiotas dos tempos recentes”.

O assunto veio à tona durante entrevista a Marcelo Tas, no programa Provoca, exibido pela TV Cultura.

Casoy relembrou que já fora “cancelado”, devido a um episódio ocorrido em 2010, quando estava na Band. O jornalista, hoje com 80 anos, fez um comentário a respeito de dois garis que tinham aparecido durante uma reportagem sobre o prêmio acumulado para a mega-sena da virada daquele ano.

Os dois homens apareceram desejando um feliz ano novo, em vídeo. Nesse momento, uma fala de Casoy vazou ao vivo:

– Que m****! Dois lixeiros desejando felicidades, do alto de suas vassouras, dois lixeiros. O mais baixo da escala do trabalho – disparou.

O jornalista disse que não se sentiu cancelado e teceu críticas ao seus “canceladores”.

– Eu falei uma bobagem […] Muitas pessoas se revoltaram, mas a maioria delas desconhecem a existência dos garis – declarou.

Marcelo Tas questionou se, para Casoy, o cancelamento seria uma “censura do bem”.

– Não! Imagina! O cancelamento é uma das coisas mais idiotas dos tempos recentes. Primeiro que quem participa entra em uma boiada, entra em uma manada. Não sabe nem por que ‘tá cancelando uma pessoa. Eu acho que isso é um modismo. Eu não me senti cancelado. Minha audiência não se moveu para baixo em nenhum ponto – respondeu o jornalista.

Fonte: Pleno News

Publicações relacionadas

X