CTMAM participa da criação do APL de Turismo da região de Marliéria

 CTMAM participa da criação do APL de Turismo da região de Marliéria

Rio Doce

 

O Circuito Turístico Mata Atlântica de Minas (CTMAM) está entre as instituições participantes do projeto de viabilização do Arranjo Produtivo Local (APL) de Turismo da região de Marliéria, que contemplará empreendimentos e instituições localizadas no entorno do Parque Estadual do Rio Doce (PERD). O planejamento estratégico é desenvolvido pela Fundação Renova, por meio da Moore Consultoria. O APL da região de Marliéria é um dos quatro projetos desenvolvidos pela instituição. Os municípios de Mariana e Governador Valadares, em Minas Gerais, e Linhares, no Espírito Santo, também estão desenvolvendo APLs de Turismo com o aporte da Fundação Renova.

Com a construção de um Planejamento Estratégico inicial de cinco anos, porém com o intuito de ser revisado anualmente, o APL conta com a participação de diversos representantes do trade turístico da região, como:  Prefeitura de Marliéria, Parque Estadual do Rio Doce, Instituto Estadual das Florestas, Cenibra, Projeto Turismo no Vale, Sebrae, CTMAM, Vale, Vale do Aço Conventions & Visitors Bureau, Vale, associações comerciais e de artesanato, empreendedores dos setores de alimentação, hospedagem e turismo, entre outros.

O CTMAM envolve 13 municípios associados ao Circuito que podem fazer parte do APL de Turismo da região de Marliéria. “Promover e engajar em iniciativas que desenvolvam o turismo da região está entre as prioridades do Circuito Mata Atlântica de Minas. Atendemos prontamente ao convite da Fundação Renova e estamos participando ativamente da elaboração do APL de Turismo. Seguimos à disposição para contribuir com o planejamento no que for preciso”, enfatiza o presidente do CTMAM, Hélio Anício.

Metodologia

As mobilizações para a criação do Arranjo Produtivo Local de Turismo da região de Marliéria começaram em outubro de 2020, através da construção do planejamento de atividades que nortearão a implantação do APL. O planejamento visa frentes de trabalho para a elaboração de projetos, formação, capacitação, descoberta de vocações locais e a introdução de novos formatos de produtos e serviços, tendo como foco o Parque Estadual do Rio Doce e municípios do entorno.

Segundo informações da empresa contratada para conduzir o APL de Turismo em Marliéria, até o momento já foram realizadas mais de 60 entrevistas individuais, com membros do trade de turismo e com representantes da Fundação Renova, além da realização de seis Workshops, para nivelar o conhecimento acerca de Arranjos Produtivos Locais com os membros. Na fase atual do projeto, a proposta é trabalhar os objetivos levantados pelos representantes locais sobre o mercado, o ambiente institucional de negócios, a eficiência da cadeia, tecnologia e pessoas, visando a criação de projetos e ações a que valorizem as iniciativas já existentes e façam com que o APL tenha uma atuação estruturada e perene.

A próxima etapa será a formação da Entidade de Governança Local (EGL), estrutura que será formada por entidades representativas e instituições apoiadoras para condução do Arranjo Produtivo Local de Marliéria.

Sobre o APL de Turismo de Marliéria

“O APL de Turismo é uma excelente oportunidade para envolvimento dos municípios do Circuito e do Vale do Aço Convention & Visitors Bureau em iniciativas pelo desenvolvimento do turismo da região. O APL vai funcionar e nos trará resultados com a condução integrada das iniciativas já existentes, investindo em educação em turismo, pois é fundamental que todos conheçam e se apropriem do PERD, que possui a maior biodiversidade do mundo”.

Rodrigo Vieira, diretor de Comunicação e Marketing do CTMAM e presidente do Vale do Aço Convention & Visitors Bureau

“Fazendo articulação com os atores do turismo e reforçando o trabalho já desenvolvido pelo Vale do Aço Destino Turístico, o APL de Turismo vai beneficiar muito a região, uma vez que vai trabalhar com segmentos que a vocação turística da região. Será preciso criar produtos turísticos e transformar a região em um destino competitivo turisticamente, considerando os trabalhos já desenvolvidos pelo CTMAM e Projeto Turismo do Vale.”

Cidinha Sampaio, empreendedora do Cozinha e Arte, em Ipatinga, e representante do Projeto Turismo no Vale

“O APL de Turismo será de grande importância para alavancar o turismo na região e, principalmente, para a economia e para a valorização do Parque Estadual do Rio Doce. Trata-se de um projeto que vai trazer oportunidades para toda a cadeia do turismo. É a primeira vez que participo da construção de um projeto de APL e tem sido um processo de muito aprendizado”.

Sebastião Tomas Carvalho, especialista em Meio Ambiente da Cenibra, representa a empresa no conselho consultivo do Parque Estadual do Rio Doce

 “Todas as iniciativas que incentivem discussão e estratégias para o desenvolvimento do Turismo na região são muito bem-vindas. Os desafios são tirar o planejamento do papel e aumentar a participação dos empreendedores no APL. Com planejamento e investimento, será possível alcançá-los. A iniciativa soma-se aos esforços do Projeto Turismo no Vale e do Circuito Mata Atlântica de Minas para tornar o Vale do Aço um destino turístico consolidado.”

Alessandro Challub, analista do Sebrae Minas

“O projeto do APL Turismo precisa continuar a mobilizar os atores que vão atuar na região do Parque Estadual do Rio Doce. Desta forma, vamos formular com clareza qual o modelo de turismo será desenvolvido para a unidade de conservação e seu entorno. Também será preciso mobilizar e promover qualificação para quem atua nesses empreendimentos, pensando sempre de modo estratégico para nos planejar para o cenário pós-pandemia.”

Denise de Castro Pereira, empreendedora da Fazenda Tio Totoni, em Marliéria

 

Publicações relacionadas

X