BH: Kalil anuncia reabertura do comércio a partir desta quinta-feira

 BH: Kalil anuncia reabertura do comércio a partir desta quinta-feira

foto: Juarez Rodrigues/EM/DA Press)

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD), anunciou na tarde desta segunda-feira (19/04) a redução das medidas restritivas contra a COVID-19 e a abertura gradual a atividade comercial na cidade, com funcionamento de serviços considerados não essenciais. O anúncio aconteceu durante pronunciamento seguido de entrevista coletiva, na sede da prefeitura.

A decisão foi tomada após três dias de reuniões – entre as últimas quarta e sexta-feira – com o Comitê de Combate à COVID-19 da Prefeitura de BH, que analisa os indicadores na capital mineira e as propostas da sociedade civil. O comitê é formado pelos infectologistas Estevão Urbano, Carlos Starling e Unaí Tupinambás e pelo secretário municipal de Saúde, Jackson Machado.
No último sábado (17/04), BH foi uma das cidades a deixar a onda roxa do plano Minas Consciente, do governo estadual. A fase mais restritiva do programa estadual obriga que os municípios permitam o funcionamento somente de serviços essenciais. A capital mineira agora está na onda vermelha, que autoriza a flexibilização. Contudo, ela é apenas uma orientação e não uma imposição.
O boletim epidemiológico mais recente de BH, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde na última sexta-feira (16/04), informa que a ocupação de leitos de terapia intensiva para pacientes com COVID-19 na cidade voltou a apresentar queda, após uma ligeira alta nessa na quinta (15/04), depois de dias com registro de redução no percentual.
Unidades de enfermaria também tiveram baixa no índice em mais um dia, enquanto a taxa de transmissão se manteve no mesmo patamar pela terceira vez consecutiva. O boletim dessa quinta apresentou uma ocupação de leitos de terapia intensiva na margem de 87,2%. Já na sexta, o índice caiu para 86,9%.
A decisão foi tomada após três dias de reuniões – entre as últimas quarta e sexta-feira – com o Comitê de Combate à COVID-19 da Prefeitura de BH, que analisa os indicadores na capital mineira e as propostas da sociedade civil. O comitê é formado pelos infectologistas Estevão Urbano, Carlos Starling e Unaí Tupinambás e pelo secretário municipal de Saúde, Jackson Machado.
No último sábado (17/04), BH foi uma das cidades a deixar a onda roxa do plano Minas Consciente, do governo estadual. A fase mais restritiva do programa estadual obriga que os municípios permitam o funcionamento somente de serviços essenciais. A capital mineira agora está na onda vermelha, que autoriza a flexibilização. Contudo, ela é apenas uma orientação e não uma imposição.
O boletim epidemiológico mais recente de BH, divulgado pela Secretaria Municipal de Saúde na última sexta-feira (16/04), informa que a ocupação de leitos de terapia intensiva para pacientes com COVID-19 na cidade voltou a apresentar queda, após uma ligeira alta nessa na quinta (15/04), depois de dias com registro de redução no percentual.
Unidades de enfermaria também tiveram baixa no índice em mais um dia, enquanto a taxa de transmissão se manteve no mesmo patamar pela terceira vez consecutiva. O boletim dessa quinta apresentou uma ocupação de leitos de terapia intensiva na margem de 87,2%. Já na sexta, o índice caiu para 86,9%.
Segundo dados divulgados nesta segunda pela Secretaria de Estado de Saúde (Sus), 158.655 pessoas já se infectaram com a COVID-19 em BH. Dessas, 3.913 morreram por causa das complicações causadas pelo coronavírus.

Publicações relacionadas

X