Tá procurando o quê?
Onde?

Lockdown em Corinto: diante do colapso, cidade fecha até comércio essencial

 Lockdown em Corinto: diante do colapso, cidade fecha até comércio essencial

Foto: Reprodução

A partir desta terça-feira (30), todo o comércio de Corinto, na região Central de Minas, está impedido de atender presencialmente. A medida, conforme o prefeito Evaldo dos Reis, vale também para os estabelecimentos considerados essenciais.

O decreto com as restrições foi publicado nesta segunda-feira (29). No documento, o chefe do executivo cita que o município está à beira do colapso, com quase 100% dos leitos hospitalares ocupados.

Por isso, determinou que supermercados, lojas e outros pontos de venda devem funcionar apenas como delivery (tele-entrega) e no máximo até as 22 horas. O rigor vai durar enquanto estiver vigorando a Onda Roxa do Minas Consciente.

As exceções, conforme o prefeito, são apenas para farmácias, clínicas médicas, laboratórios, postos e centros de saúde, indústrias dos ramos de saúde e alimentação, agências bancárias e lotéricas, postos de gasolina e borracharias. Somente esses estabelecimentos poderão abrir as portas para o público.

Também permanece proibida a venda de bebidas alcoólicas em todo município, o toque de recolher de 20h às 5h. E, durante o dia, os moradores poderão circular apenas se for para ir em um dos locais abertos. O uso da máscara segue obrigatório e reuniões, inclusive familiares, mas com pessoas que moram em outra casa, estão impedidas.

Colapso

Secretária de Saúde, Yolanda Auxiliadora da Silva Castro classificou a situação de Corinto como crítica. Ela detalhou que o município está utilizando o oxigênio reserva. A gestora fez um apelo para que a população fique em casa.

“A situação é caótica. O que a gente viu acontecer em Manaus, na Itália e nos Estados Unidos, nós estamos vivendo aqui em Corinto. Fica em casa pelo amor de Deus. É uma súplica que estou pedindo. Coperem”, clamou.

Com aproximadamente 24 mil moradores, Corinto tem, conforme a Secretaria Estadual de Saúde (SES), 758 casos confirmados da doença e 21 mortes em decorrência do vírus.

Fonte: O Tempo

Publicações relacionadas