Tá procurando o quê?
Onde?

A ciência de perder peso com prazer

 A ciência de perder peso com prazer

Emagrecer tem muito mais ligação com o cérebro do que com o consumo de alimentos, é o que defende a nutricionista Fernanda Santos. Em seus atendimentos, a especialista alia neurociência e reeducação alimentar, sempre voltados para a situação de cada paciente. Fernanda garante que é possível sim emagrecer com prazer.

“Quem controla nossa alimentação, a fome e a saciedade é o nosso cérebro. Quando a alimentação é equilibrada, ele transmite sensações de prazer, controlando com mais eficaz a nossa saciedade e fome”, explica Fernanda.

Nas redes sociais, podemos encontrar milhões de dietas restritivas, receitas milagrosas e mitos de alimentação. Um deles envolve carboidratos, tratados como vilões, e as proteínas, idolatradas pelos frequentadores de academia. “Cada pessoa é única e tem suas necessidades específicas, como a de seus nutrientes. Na guerra carboidratos versus proteínas, ninguém ganha”, afirma a nutricionista.

Nosso cérebro codifica e armazena todas as nossas ações. Se nos alimentamos mal durante vários anos, não é instantaneamente que vamos emagrecer. A nutricionista diz que um plano alimentar é uma mudança de estilo de vida. Desde nossos ancestrais, “fechar a boca”, o cérebro processa como sinal de perigo. Seu corpo vai trabalhar para evitar esse perigo. Isso pode diminuir o metabolismo e, consequentemente, aumentar a fome.

De acordo com Fernanda, estudos afirmam que “Pessoas que seguem dietas restritivas, de 90 a 95%, engordam ou apenas retornam ao seu peso inicial. O importante é equilíbrio, e não dietas restritivas”.

O indicado, na maioria dos casos, é a reeducação alimentar. Como é um processo, essa reeducação demanda investimento de tempo. Nos dias atuais, a busca pelo corpo ideal tem se tornado cada vez mais rápida e, muitas vezes, arriscada, então, procurar ajuda profissional para emagrecer pode tornar o processo satisfatório e prazeroso. “Sabemos que nem todo mundo tem paciência, tempo e disposição para seguir metas saudáveis, moderadas e gradativas. Só que perder peso rápido não é uma estratégia eficaz e assusta o corpo. A consequência é ter o apetite aumentado e o metabolismo desacelerado”.

A especialista afirma ainda que “A ciência da nutrição vem inovando em tecnologia e em informação. Não é correto seguir pessoas que não são dessa área, que podem acabar comprometendo a questão do corpo e do emagrecimento, por isso é ideal a escolha de um profissional que seja gabaritado para tal finalidade. Informações sem procedência científica podem causar danos ao corpo. As pessoas não deveriam se apegar a números e metas, sem antes fazer uma avaliação mais profunda. Performance, beleza, longevidade, saúde ou emagrecimento não são um produto”, finaliza.

Publicações relacionadas