Tá procurando o quê?
Onde?

Cruzeiro: Sóbis perdeu espaço, mas ausência coincide com queda ofensiva do time

 Cruzeiro: Sóbis perdeu espaço, mas ausência coincide com queda ofensiva do time

Rafael Sóbis vem sendo o reserva do time após início como titular — Foto: Bruno Haddad/Cruzeiro

Rafael Sóbis foi o grande destaque da reta final do Cruzeiro na última temporada. Rapidamente se encaixou no esquema de Felipão. Além de boas atuações, tornou-se artilheiro da Raposa na temporada, com seis gols marcados. Pela segundona, foram 16 jogos disputados, todos eles como titular, com uma média de 71 minutos por jogo. Com seis bolas na rede em 16 desafios na Série B, a média de Sóbis foi de 0,4 gols por partida, o que equivale a um gol a cada 189 minutos.

Por jogo, veterano atacante, de 35 anos, finalizava cerca de 2,6 vezes, além de uma assistência e uma precisão de passes por partida de 78%, com uma média de 19.8 passes certos. Os números são do aplicativo SofaScore. Atuando com mais presença entre a faixa esquerda e o centro do campo ofensivo, Sóbis foi o diferencial do Cruzeiro ao lado do zagueiro Manoel. E como reconhecimento recebeu a camisa 10 assim que a temporada 2021 se iniciou.

Porém, o ano ainda não vem sendo tão prolífico para Sóbis. Apesar do começo como titular com Felipe Conceição, o jogador passou a ser reserva em uma formação que vem privilegiando Marcelo Moreno como titular. E pelo que o técnico cruzeirense deixou claro, a disputa do camisa 10 será mesmo com o boliviano, uma vez que Conceição não enxerga possibilidade dos dois atacantes atuarem juntos.

“É difícil iniciar uma partida com os dois. Não que não vá acontecer, mas tem que ser um processo e que a gente confie que isso será o melhor caminho. Hoje, não é”, frisou Conceição.

Zerado em gols na temporada, o ‘Tio Sóbis’, como é carinhosamente chamado pela torcida, atuou entre os 11 durante todo o tempo de jogo nas duas primeiras partidas de 2021, duelos que, curiosamente, o Cruzeiro mostrou presença ofensiva. Foram 28 finalizações no empate com o Uberlândia por 1 a 1, e mais 17 na derrota para a Caldense por 1 a 0. Desde então, o camisa 10 passou a ser utilizado apenas na primeira etapa de jogo até que perdeu de vez a vaga contra o Athletic e depois contra o América. Nos dois jogos sem Sóbis entre os 11, entrando apenas nos minutos finais, o Cruzeiro teve apenas nove finalizações, uma baixa em relação ao início do ano. Questionado sobre a ausência de Sóbis, Conceição salientou que as alterações se devem à necessidade de testes.

“Tem critérios no dia a dia para (definir) quem joga ou não. Todos tiveram não apenas uma chance, mas várias, seja entrando ou iniciando a partida. E é o momento de fazer isso, Não tem outro momento”, justificou.

O ataque celeste neste início de ano vem novamente em colapso. A Raposa marcou apenas cinco gols em seis jogos, sendo que apenas dois destes gols foram de atacantes, um com Felipe Augusto e outro com Marcelo Moreno.

Fonte: O Tempo

Publicações relacionadas