Tá procurando o quê?
Onde?

Santa Maria de Itabira: Cidade precisa de doações para vítimas da chuva

 Santa Maria de Itabira: Cidade precisa de doações para vítimas da chuva

Cidade foi devastada por um forte temporal no último domingo Foto: Alex de Jesus

Sentado no banco de uma escola em Santa Maria de Itabira, na região Central de Minas, o açougueiro Marcos Oliveira, de 56 anos, almoçava arroz, feijão, macarrão e angu nesta segunda-feira (22). A refeição foi preparada com alimentos doados para os pontos de apoio para onde foram levados os desalojados e desabrigados da cidade após a chuva.

No entanto, devido à quantidade de pessoas, voluntários solicitam mais doações, além de alimentos, cobertores, colchões e fraldas.  “Eu estou aqui comendo para daqui a pouco ir para rua ajudar outros moradores. Todas as pessoas que morreram eu conhecia. É muito triste”, contou.

A casa dele também foi invadida pela água, mas o açougueiro optou por, primeiro, ajudar quem não tem mais lugar para ficar. “Na minha casa, eu vou ver o que foi perdido. Mas, neste momento, tem gente precisando de apoio e eu estou aqui para ajudar”, disse.

Grupo para ajuda

Em um grupo criado no Whatsapp, moradores da cidade falam que precisam de donativos.

“Eu sou Dadá, de Santa Maria de Itabira, estou na linha de frente, estamos precisando, sim, de alimentos, marmitex. Tem muita gente desabrigada, muita gente com fome. Tem gente tremendo de fome, e a nossa cozinha aqui não está dando conta de fazer tanta comida. A gente precisa de toalhas de banho, roupas de cama, materiais de limpeza. Teve uma notícia que a gente não estava precisando, mas isso é falso. Estamos em pânico em Santa Maria. Deus abençoe todos vocês. Obrigada”, disse a mulher chorando já no final da gravação.

Desde às 11h, a reportagem de O TEMPO pede um posicionamento da Prefeitura de Santa Maria de  Itabira em relação aos números atualizados de vítimas, pessoas fora de suas casas e quais os canais para as doações.

No entanto, um funcionário do gabinete do prefeito afirma que o “município vai se manifestar apenas uma vez e por áudio encaminhado em uma lista de transmissão”, o que não tinha acontecido até as 15h40.

A reportagem também solicitou um contato direto com o prefeito da cidade, mas foi informada que ele não vai falar com a imprensa por agora, uma vez que também teve a casa atingida e está abalado.

Fonte: O Tempo

Publicações relacionadas