Familiares de vítimas de acidente no Paraná reconhecem corpos

 Familiares de vítimas de acidente no Paraná reconhecem corpos

Familiares de vítimas de acidente fazem reconhecimento de corpos em Curitiba REPRODUÇÃO/RICMAIS

Familiares das vítimas do acidente que ocorreu na manhã da segunda-feira (25) na BR-376, em Guaratuba, no Paraná, identificam corpos no IML (Instituto Médico Legal) durante a madrugada desta terça-feira (26). Entre os mortos, está um menino de 7 anos que reencontraria os pais após um ano sem vê-los. A tragédia deixou 19 mortos e 33 feridos.

Os familiares começaram a chegar ao IML de Curitiba na noite da segunda-feira. A maior parte deles é de Santa Catarina e aguardava a chegada do ônibus. O funcionário público Pedro Marcos, do Pará, estado de onde saiu o coletivo com 53 passageiros. Ele é tio de João Paulo Ferreira Santos, de 19 anos.

O jovem e a namorada, Emanuelle Cristina Miranda, de 25 anos, morreram. Segundo ele, o casal tinha o sonho de trabalhar e morar perto dos familiares em Itajaí (SC). Pedro afirma que saiu de Belém (PA) às pressas e contou com a ajuda de amigos e familiares para comprar a passagem de avião. No IML, teve de reconhecer o corpo do sobrinho.

Entre as vítimas fatais está o garoto de 7 anos Cristopher. Ele viajava para reencontrar os pais. O casal mora há um ano em Florianópolis, em Santa Catarina. Os pais de Cristopher saíram do Pará para, segundo eles, mudar de vida. O casal conseguiu emprego há pouco tempo e enviou dinheiro para as passagens do filho, o garoto e a irmã de 2 anos. Há uma semana, o casal havia alugado uma casa maior para a família.

Com as crianças, estavam uma tia e a filha dela. A irmã de Cristopher, a tia e a prima sofreram ferimentos e seguem internadas, mas, segundo a família, não correm risco.

O governo do Pará, local de origem do ônibus que tombou na rodovia BR-376, em Guaratuba, no Paraná, pediu apoio aéreo para transportar as vítimas para o estado. De acordo com o governo, foi deslocada uma equipe da Secretaria de Segurança e do Centro de Perícias Renato Chaves para dar apoio na identificação dos corpos e ajudar na remoção para o estado paraense.

O governo informou que fez contato com a Força Aérea brasileira para verificar a possibilidade de contratar e fretar um avião para trazer os corpos. O ônibus partiu da cidade de Ananindeua, na região metropolitana de Belém, com destino a ao Balneário Camburiú.

Entre os passageiros transportados, quatro eram crianças. As vítimas foram encaminhadas a hospitais da região, as mais graves foram encaminhadas ao Hospital Cajuru, em Curitiba e ao Hospital São José, em Joinville. As vítimas moderadas e com ferimentos leves foram encaminhadas de ambulância a hospitais em Guaruva e Joinville, em Santa Catarina.

Fonte: R7

Publicações relacionadas

X