Tá procurando o quê?
Onde?

Profissionais da linha de frente de combate à Covid-19 são vacinados em Ipatinga

 Profissionais da linha de frente  de combate à Covid-19 são vacinados em Ipatinga

A Secretaria Municipal de Saúde iniciou esta semana, os trabalhos para imunização de todos os profissionais da saúde que atuam na linha de frente de combate ao Coronavírus. O município está estruturado e seguindo o plano de contingência de vacinação e orientações do Ministério da Saúde, para a aplicação das 4.700 doses da vacina contra a Covid-19, disponibilizada pela Secretaria Estadual de Saúde de Minas Gerais. Os demais grupos prioritários serão atendidos à medida que forem chegando os novos lotes de vacinas.

A vacinação iniciada nesta quarta-feira (20) atendeu centenas de profissionais do Hospital Municipal Eliane Martins (HMEM) e prossegue no decorrer da semana, com cobertura de profissionais da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), Unidades Básicas de Saúde (UBS) e todos os trabalhadores envolvidos na assistência direta aos pacientes. Foram disponibilizadas cerca de 1.200 vacinas ao Hospital Márcio Cunha (HMC), para imunização de seu quadro ligado ao atendimento dos pacientes Covid.

O técnico de análises clínicas do HMEM, Antônio Veloso, relatou seu sentimento com relação ao momento: “No dia a dia sempre tivemos a preocupação com o risco de contaminação. Eu tenho 69 anos e vários familiares que são do grupo de risco. A vacina ainda não é a solução definitiva para a Covid-19, mas algo que traz alívio e esperança de dias melhores”, ressaltou.

O município alerta que como a quantidade de vacinas ainda é pequena, a prioridade absoluta é a imunização dos trabalhadores da saúde que precisam lidar contra o vírus em sua rotina diária. E destaca a importância da continuidade dos protocolos sanitários até que mais remessas da vacina sejam disponibilizadas.

“Todos devemos compreender que a responsabilidade não mudou em relação aos cuidados preventivos. Nós estamos vacinando os profissionais da área da saúde e estamos capacitando outros para realizar a vacinação. Porém, temos que entender que a quantidade de vacina ainda é insuficiente para controlar a doença. Portanto, a participação social de cada um ainda é muito importante para frear a proliferação da doença. Isso é fundamental para o bem-estar de todos”, destacou o secretário de Saúde, Dr. Juliano Nogueira.

Publicações relacionadas