Tá procurando o quê?
Onde?

Produção industrial de Minas Gerais avança 0,6% em novembro

 Produção industrial de Minas Gerais avança 0,6% em novembro

Foto: Gilson Abreu

A produção industrial de Minas Gerais aumentou 0,6% em novembro de 2020, em
relação ao mês anterior, na série com ajuste sazonal, sendo esta a sétima taxa positiva
consecutiva registrada no estado. No entanto, o crescimento em Minas Gerais é inferior ao
nacional (1,2%). Minas Gerais e outros nove estados tiveram aumento da produção entre
outubro e novembro, enquanto os outros cinco locais pesquisados recuaram. Bahia (4,9%), Rio
Grande do Sul (3,8%) e Amazonas (3,4%) assinalaram as expansões mais acentuadas,
enquanto Pará (-5,3%), Mato Grosso (-4,3%) e Pernambuco (-1,0%) registraram as quedas
mais expressivas.

Em relação ao mesmo mês do ano anterior, Minas Gerais apresentou expansão da
produção industrial (5,2%) maior que a média nacional, sendo esta de 2,8%. Nesse
comparativo, outras nove unidades da federação registraram aumento, sendo Paraná (14,0%),
Santa Catarina (11,1%) e Pernambuco (10,0%) aqueles que assinalaram os avanços mais
intensos. Por outro lado, os maiores recuos foram observados em Mato Grosso (-18,4%), Rio
de Janeiro (-7,0%) e Pará (-4,6%).

Já no acumulado do ano (janeiro-novembro de 2020), 12 dos 15 locais pesquisados
tiveram redução da produção industrial, dentre eles Minas Gerais, com queda de 4,8%; o recuo
registrado em Minas foi menor que a redução nacional, de 5,5%. No sentido oposto, destaque
para Pernambuco (3,2%), que apontou o principal avanço no índice acumulado de janeiro novembro de 2020.
No acumulado dos últimos doze meses, a produção industrial de Minas Gerais recuou
5,6%, apresentando perda menos intensa que de outubro (-5,8%). Ainda assim, a queda
registrada em Minas foi superior à redução nacional no período (-5,2%).

Considerando as 13 atividades divulgadas para Minas Gerais, verificamos avanços na
produção industrial de 12 delas em relação ao mesmo mês do ano anterior. Destacam-se
“Fabricação de máquinas e equipamentos” (26,6%), “Fabricação de produtos têxteis” (19,1%),

 

Publicações relacionadas