Tá procurando o quê?
Onde?

Mais da metade das empresas de Minas Gerais deve contratar em 2021

 Mais da metade das empresas de Minas Gerais deve contratar em 2021

Após as grandes ondas de demissões causadas pela pandemia, as perspectivas são que ao menos uma parte desses empregos seja recuperada no decorrer de 2021. De acordo com uma pesquisa feita pela Deloitte Brasil, com 663 empresas de todo o país, 44% dos entrevistados desejam aumentar o quadro de funcionários neste ano.

Entre os empresários mineiros, a perspectiva é ainda melhor: 56% deles planejam fazer novas contratações.

Segundo o líder do escritório da Deloitte em Belo Horizonte, Manoel Silva, essa projeção não significa ainda uma recuperação total. “É uma mistura de aumento de recomposição de perda. Mas reflete uma recuperação da economia, sem dúvida, tanto a pesquisa do Brasil quanto a de BH”, afirma.

Entre os segmentos que devem aumentar a busca por profissionais, Silva cita a indústria automotiva, a mineração, a siderurgia, além dos setores financeiro e de tecnologia.

No caso deste último, a demanda está diretamente ligada à adoção do home office e ao distanciamento social. Com mais gente dentro de casa trabalhando e consumindo, aumentou a necessidade de as empresas investirem tanto em proteção digital e infraestrutura de dados quanto na transformação digital para vendas e processos internos.

O levantamento mostra que 94% das empresas entrevistadas em Minas querem ampliar os investimentos em serviços de nuvem, equipamentos, rede e serviços de Tecnologia da Informação (TI).

Em Belo Horizonte, a Tripla, com cinco anos de experiência, já começou a expansão no fim de 2020. “Começamos a pandemia com 50 colaboradores. Hoje somos 63. Tirando o planejamento para o próximo ano, temos 14 vagas abertas”, diz o coordenador de Recursos Humanos (RH) da empresa, Evaldo Damasceno de Oliveira.

Para 2021, a expectativa é que haja um aumento de 50% no número de profissionais, chegando a 90 ou mais, projeta Oliveira. Ele conta que o teletrabalho gerou economia na própria Tripla – só de transporte, a empresa economizou R$ 10 mil mensais.

Na também mineira Squadra Digital, com mais de três décadas de atuação, a demanda aumentou por parte de clientes antigos e de novos.

“O ‘efeito Covid’ fez que todas as empresas antecipassem os investimentos para a jornada digital”, explica o CEO da Squadra, André Cioffi. “A gente tem hoje quase 50 vagas em aberto. Esse número é crescente, acreditamos que em 2021 deve aumentar”, acrescenta.

“Durante a pandemia, o varejo sentiu a necessidade se digitalizar todo. Ainda tem muito espaço para fazer”, concluiu.

Formação de pessoal também está no radar

Além das contratações, a pesquisa da Deloitte Brasil indica que 84% das empresas do país querem focar a formação e o treinamento dos funcionários em 2021.

“As empresas estão investindo nesse profissional para que isso seja refletido num aumento de valor de negócio da companhia”, explica Manoel Silva, do escritório de BH, ressaltando que a relação entre empresa e empregado vai ficar muito mais fortalecida.

No caso da Tripla, isso vai desde cursos e certificações até viagens de aprimoramento em países europeus.

“Nossa intenção é investir 50% do que faturarmos no próximo ano no desenvolvimento de pessoas”, diz o coordenador de RH, Evaldo Oliveira.

Fonte: O Tempo

Publicações relacionadas