Tá procurando o quê?
Onde?

‘Foi assustador’: Donos de bufê que pegou fogo em BH avaliam perdas

 ‘Foi assustador’: Donos de bufê que pegou fogo em BH avaliam perdas

incêndio de grandes proporções que atingiu, na noite desta segunda-feira (30/11), um bufê na Avenida Olegário Maciel, no Bairro de Lourdes, Região Centro-Sul de Belo Horizonte, deixou muitos estragos no estabelecimento. Na manhã desta terça-feira (1/12), os donos do Mariângela Buffet chegaram ao local e avaliaram as perdas causadas com o fogo.

Quando os empresários chegaram ao local, estilhaços estavam pelo chão e havia muita água pelo salão. Uma das sócias, Valéria Prates, disse que foi assustador, mas só tinha a agradecer por não ter sido vítima do incêndio. Ela ainda não sabe precisar onde as chamas teriam se iniciado. O teto do local e o telhado que era de madeira desabaram.
Segundo Valéria, todos os alimentos foram perdidos, mas a perda de material de festa foi pouco, já que a empresa tem outro galpão.
Segundo informações de vizinhos, o fogo começou por volta das 23h30, e as chamas atingiram altura considerável.
O Corpo de Bombeiros compareceu ao local e combateu o incêndio até a madrugada. Os militares precisaram amassar o portão para conseguir entrar no local.
Segundo a corporação, foram queimadas prateleiras, armários, paredes, ar condicionado, eletrodomésticos/utensílios/equipamentos de cozinha, geladeiras/freezer, mobiliários, computadores, parte elétrica e estoque de alimentos.
“O local foi isolado e o fogo foi controlado antes que se propagasse para as edificações vizinhas, mas o grande volume de fumaça incomodou muitos moradores vizinhos”, informou o Corpo de Bombeiros.
A perícia foi acionada para investigar as causas e deve comparecer ao local ainda na manhã desta terça-feira.
De acordo com os bombeiros, a rotina do local estaria limitada apenas ao funcionamento administrativo de um escritório.
Sete viaturas foram empenhadas, cerca de 20 bombeiros atuaram nesta chamada. Pelo menos 25 mil litros de água foram utilizados no combate às chamas.
Fonte: Estado de Minas

Publicações relacionadas