Tá procurando o quê?
Onde?

PMI e MP vistoriam UBS e avaliam compensação para acidente ambiental

 PMI e MP vistoriam UBS  e avaliam compensação  para acidente ambiental

Com o acompanhamento da secretária de Saúde do município, Érica Dias, e membros do corpo técnico da pasta, o promotor Rafael Pureza, Curador da Saúde do Ministério Público na comarca de Ipatinga, realizou uma visita à Unidade Básica de Saúde do Vale do Sol, na manhã desta quinta-feira (26). A agenda se deveu ao fato de a rede de água que abastece a unidade e residências da comunidade ter sido contaminada com esgoto sem tratamento no último dia 13, um incidente de responsabilidade exclusiva da Copasa e admitido pela própria companhia enquanto desenvolvia trabalho de manutenção na região. Na oportunidade, além de realizar análises da água em diversos pontos, para constatação dos níveis de contaminação, e exigir medidas reparadoras imediatas, o município chegou a ameaçar de suspensão o contrato com a concessionária responsável pela gestão do saneamento básico na cidade.

“Nosso primeiro objetivo é saber se houve a resolução do problema. Foi uma intercorrência grave e tivemos relatos inclusive de moradores e servidores da Unidade que se sentiram mal após ingerir a água contaminada. A princípio, como esse dano atingiu diretamente o bairro e a UBS do Vale do Sol, uma boa alternativa seria que as medidas compensatórias se destinassem para a melhoria das condições da unidade de saúde”, adiantou o promotor.

Recursos
Após visitar a UBS do Vale do Sol, a comitiva se deslocou para o bairro Esperança. A visita à UBS da avenida Hortência serviu para o promotor e o município avançarem na resolução de um problema que se arrasta há mais de dez anos, alvo inclusive de um Inquérito Civil, que é a ausência de alvarás sanitários em todas as unidades de saúde do município.

“O Ministério Público já acompanha há muito tempo a condição de todas as unidades, e reconhecemos o esforço da administração para a regularização dos problemas. Agora, estamos nos colocando à disposição para destinar recursos para a manutenção necessária e regularização dos alvarás”, informou Pureza.

Para a secretária municipal de Saúde, o apoio do MP, “além de dar lisura ao processo de gestão das necessidades, gera benefícios para a população e servidores, que terão problemas antigos resolvidos”.

“Quando o MP nos procurou para nos posicionarmos quanto a esses problemas que se arrastam há anos – disse Érica –, colocamos todos os nossos técnicos debruçados em buscar soluções. Fizemos um documento com um amplo relatório de necessidades e que ainda hoje será enviado via ofício ao promotor, que já sinalizou a destinação dos recursos necessários para resolver todos os problemas. Essa gestão sabe das reais necessidades e vem buscando resolver todas elas. Com o apoio do MP, temos mais um importante ponto positivo neste sentido”, disse.

Publicações relacionadas