Tá procurando o quê?
Onde?

Dulce María diz que gravidez e pandemia afetaram sua saúde mental

 Dulce María diz que gravidez e pandemia afetaram sua saúde mental

Mesmo grávida de oito meses, Dulce María, 34, não deixa o trabalho de lado. A cantora mexicana lança nesta sexta-feira (6) o single “Lo Que Ves No Es Lo que Soy”, que faz parte do novo álbum “Origen”, ainda sem data de lançamento.

Para a ex-RBD, a nova etapa profissional é um divisor de águas em sua vida. “É como um fechamento de ciclo e início de outro. Não é só pelos 30 anos [de carreira], vou fazer aniversário, ter a bebê, são muitas mudanças e tenho vontade de compartilhar com os meus fãs”, afirma Dulce María, em conversa com os jornalistas por videoconferência à qual o F5 participou.

Casada com o empresário Paco Álvarez, com quem espera a primeira filha, María diz que a maternidade não é só flores. Para a cantora, a gravidez foi desgastante em decorrência da pandemia do coronavírus e que, por isso, não se encontra bem emocionalmente. “É complicado apesar de se dizer ser algo muito bonito, ainda mais em uma pandemia em que você está sozinha, se precisar ir ao médico no pré-natal é horrível porque você vai com medo, não pode ver seus amigos nem a sua família. Chega a depressão e tantas coisas ruins.”

Uma das protagonistas da novela “Rebelde” (SBT, 2004 – 2006), a cantora explica que não vai participar da reunião do RBD porque vive um momento conturbado e a decisão foi a mais coerente -o show virtual “Ser o Parecer”, um encontro histórico para os fãs do folhetim e do grupo musical, será em 26 de dezembro. “Não estou 100% fisicamente e emocionalmente. Tenho que cuidar da minha saúde. Infelizmente é um momento complicado. Gosto de estar 100% nas coisas, de me entregar, vibrar e sentir as pessoas.”

Durante o bate-papo, Dulce María enalteceu sua história na banda mexicana, formada por Anahí, Maite Perroni, Alfonso Herrera, Christian Chávez e Christopher von Uckermann. Ela se diz agradecida por integrar o grupo que conquistou uma legião de fãs nos anos 2000. “Sei que no Brasil me apoiaram demais, impressionantemente. Quando saí da banda, eles me deram muito suporte para a minha carreira solo.”

Fonte: Notícias ao Minuto

Publicações relacionadas