Tá procurando o quê?
Onde?

5 sinais da falta de empatia

 5 sinais da falta de empatia

A falta de empatia é um grande obstáculo para um relacionamento harmonioso com os outros, mas também consigo mesmo. O eu e os outros são realidades que se influenciam, se complementam e se determinam mutuamente. Ter pouca capacidade de compreender os outros é uma indicação de que você, provavelmente, não se compreende totalmente. A seguir, falaremos sobre os principais sinais da falta de empatia.

O individualismo e a impossibilidade de adotar novos pontos de vista são traços que acabam gerando comportamentos não construtivos. Um dos aspectos que permitiram ao ser humano se separar da natureza e criar civilizações é a cooperação. Por sua vez, a falta de empatia limita essa relação com os outros.

Tanto a vida quanto o pensamento e o mundo emocional ficam muito empobrecidos quando não há empatia. Alguns não são conscientes disso e até mesmo confundem a empatia com certos traços de generosidade ou desapego. Por isso, é importante falar sobre alguns dos sinais que revelam a falta de empatia. É isso que faremos a seguir.

“A empatia reside na capacidade de estar presente sem opinião”.
-Marshall Rosenberg-

  1. Colocar-se como um exemplo para si mesmo 

Este é um traço que muitas vezes passa despercebido porque muito frequentemente se manifesta em uma sessão de “conselhos”. Este recurso também é usado como um aparente elemento motivacional. Portanto, se alguém te conta sobre um problema, você responde falando a respeito de como resolveu um problema semelhante.

Da mesma forma, se uma pessoa tem dificuldade em fazer algo, você responde falando sobre as virtudes que você demonstrou em situações semelhantes. Tudo isso é um sinal claro de falta de empatia. Precisamente, a empatia implica ver as situações a partir da posição do outro, não a partir de si mesmo.

2. Falta de tato na linguagem

Atualmente, não é incomum encontrar sincericidas em nossos caminhos. Eles são pessoas que se orgulham de ser francos ou de expressar suas ideias de forma espontânea e sem rodeios. Na prática, podem ser ofensivos, rudes, ou simplesmente imprudentes.

Na comunicação humana, importa o interlocutor, assim como o tipo de vínculo que existe. Não é saudável que a linguagem seja usada grosseiramente, a menos que seja estritamente indispensável, ou se torne um meio de impor o próprio desconforto aos outros.

3. Estereórotipos e preconceitos, sinais da falta de empatia

Não há nada mais distante da empatia do que os estereótipos. Essa tendência de generalizar e simplificar as características dos outros é um sinal de uma grande incapacidade de ver o outro em sua integridade e em sua diferença. As coisas podem ter características idênticas, mas as pessoas não.

Os preconceitos envolvem um mecanismo semelhante. São baseados em generalizações que carecem de evidências de apoio. São mantidos apenas por falta de conhecimento ou reflexão. A empatia exige estar aberto ao mundo do outro, em vez de se fechar em um rótulo supérfluo.

4. Fazer fofocas também é um dos sinais da falta de empatia 

Os boatos e fofocas são atos de desprezo pelos outros. Configuram uma falta de respeito porque implicam o questionamento da vida pessoal ou privada de alguém. Circular informações sobre outra pessoa por curiosidade, inveja ou falta de autonomia equivale a explorá-las.

Nos boatos, uma espécie de jogo de espelhos é criado. Cada um se olha na pessoa a quem o boato faz referência para se comparar e saber a opinião dos outros diante das fraquezas ou erros. Isso só satisfaz um egoísmo infantil que deteriora a imagem do outro e a autonomia de si mesmo.

5. Utilitarismo

O utilitarismo às vezes se expressa na forma de comportamentos que buscam fazer do outro um instrumento para atingir objetivos ou satisfazer suas próprias necessidades. Outras vezes, se manifesta como uma avaliação tendenciosa dos outros, baseada na utilidade que tem para atingir objetivos sociais ou de grupo.

Em ambos os casos, esse utilitarismo é um sinal de falta de empatia. Todo ser humano tem valor e dignidade pelo simples fato de existir. Merece o respeito e a consideração dos outros simplesmente porque fazemos parte da mesma espécie. Não importa se você está em um hospital, na prisão ou em condição de pobreza.

Os sinais de falta de empatia são apenas isso: sinais. Todos nós, até certo ponto, somos capazes de ver, compreender e aceitar a realidade do outro. Se aumentarmos essas capacidades com o exercício contínuo da compreensão e da compaixão, os primeiros a sair ganhando seremos nós mesmos. Ganharemos a chave para mundos desconhecidos que, sem dúvida, nos enriquecerão.

 

Publicações relacionadas