Tá procurando o quê?
Onde?

Primeira etapa do Samu Regional do Leste de Minas começa 13 de outubro

 Primeira etapa do Samu Regional do Leste de Minas começa 13 de outubro

Chamados de Saúde de urgência, em nove municípios do Leste de Minas, já serão atendidos pelas ambulâncias do Samu Regional do Leste de Minas, pelo telefone 192, a partir de 13 de outubro. Essa é a data estabelecida pelo Consórcio Intermunicipal da Rede Urgência e Emergência do Leste de Minas Gerais (Consurge) e pela Secretaria de Estado de Saúde de Minas Gerais (SES-MG) para o início do serviço.

Na primeira fase serão quatro municípios atendidos no Vale do Aço, sendo Belo Oriente, Caratinga, Coronel Fabriciano e Timóteo) e cinco no Vale do Rio Doce (Governador Valadares, Mantena, Resplendor, Tarumirim, São João Evangelista, Peçanha, Santa Maria do Suaçuí). Serão 12 ambulâncias, com Central de Regulação em Governador Valadares, e 200 profissionais capacitados para o atendimento, em parceria com o Corpo de Bombeiros.

Segundo o subsecretário de Políticas e Ações de Saúde da SES, Marcílio Dias Magalhães, o Estado deverá antecipar o cronograma de implementação nos próximos seis meses em todos os 86 municípios das duas regiões, beneficiando mais 1,5 milhão de pessoas. “O governador Romeu Zema deverá vir no início de novembro para a região para anunciar as próximas etapas. Com o esforço da Secretária de Saúde para antecipar as etapas de implementação”, afirmou.

A deputada estadual Rosângela Reis (Podemos), uma das principais lideranças pela implementação do Samu Regional no Vale do Aço, afirmou que o início do atendimento coloca fim à luta de anos pelo serviço e das divergências políticas que atrapalharam o andamento do processo. “O esforço agora é para convencer mais municípios aderirem ao Consurge e fortalecerem o Samu Regional do Leste de Minas. É a conquista de um sonho para a região e o salvamento de vidas”, pontuou.

A segunda etapa do Samu Regional está prevista para seis meses após a primeira etapa e deverá contar com mais 25 ambulâncias, assim como o atendimento no restante dos municípios da região, sendo 30 da região do Vale do Aço: Santana do Paraíso, Antônio Dias, Jaguaraçu, Marliéria, Dionísio, Córrego Novo, Pingo D’Água, Iapu, Inhapim, Açucena, Bom Jesus do Galho, Braúnas, Bugre, Dom Cavati, Entre Folhas, Imbé de Minas, Ipaba, Joanésia, Mesquita, Naque, Periquito, Piedade de Caratinga, Santa Bárbara do Leste, Santa Rita de Minas, São Domingos das Dores, São João do Oriente, São Sebastião do Anta, Ubaporanga, Vargem Alegre e Vermelho Novo.

O diretor executivo do Consurge, Narcélio Alves, explicou que Ipatinga não aderiu ao Consurge, por uma decisão do atual gestor, mas o atendimento do município continua normalmente com a estrutura municipal.

“O Samu atenderá pacientes em casos de urgência, que receberá a estabilização do quadro de Saúde e terá já a entrada na regulação do SUS e não terão que ficar peregrinando de hospital em hospital por um leito. A porta de entrada será a unidade referência regional do SUS. O custo de manutenção dentro do consórcio é muito menor do que o município bancar sozinho. Só em Governador Valadares, o custo de quase R$ 600 mil cairá para R$ 90 mil ao mês”, explicou.

Luta pelo Samu Regional

Desde 2013 a deputada Rosângela Reis luta pela implantação do Samu Regional no Vale do Aço. Após incontáveis reuniões e cobranças, em 2017 a iniciativa chegou a ser anunciada, inclusive com a compra de ambulâncias e realização de concurso público, mas não foi implantado pelo Estado.

Então, ainda em 2017, o Estado só possuía dinheiro para iniciar um Samu Regional, ou o do Vale do Rio Doce ou do Vale do Aço. Dessa forma, Rosângela iniciou a luta pela integração do Consórcio Intermunicipal de Saúde dos Vales (Cisvales) e o Consórcio Intermunicipal de Saúde da Rede de Urgência e Emergência do Leste de Minas (Consurge), sendo o primeiro do Vale do Aço e o segundo de Governador Valadares e entorno.

Após várias reuniões e embates, chegou-se a decisão de unificar as regiões. Depois de adequações, a data de 31 de março desse ano chegou a ser definida para o início do Samu Regional. Mas a pandemia do novo coronavírus adiou novamente os planos. Agora, o serviço chega para ficar e beneficiar toda a população com um socorro digno e de qualidade em momentos de urgência.

A deputada Rosângela Reis é responsável pelo encaminhamento de R$ 3,3 milhões em emenda parlamentar própria para a implantação do Samu, além de ter mobilizado o deputado federal Hercílio Coelho Diniz para aportar outros R$ 1,4 milhão. O deputado estadual Celinho do Sinttrocel também aportou recursos na mesma ordem para a iniciativa.

 

Publicações relacionadas