Tá procurando o quê?
Onde?

Reunião busca definir futuro dos músicos em Timóteo

 Reunião busca definir futuro dos músicos em Timóteo

O prefeito de Timóteo Douglas Willkys recebeu na tarde desta quinta-feira (21), representantes da classe dos músicos do município, na tentativa de planejarem ações que amenizem o atual cenário de crise vivido pelos artistas. O segmento está diretamente atrelado ao setor de eventos e entretenimento, que foi diretamente atingido pelas medidas de restrições em todo o estado.

De acordo com João Paulo, representante do movimento ‘Músicos de Timóteo’, o saldo da reunião é positivo no que se refere ao diálogo com o poder público e o planejamento de ações que visam a flexibilização da atividade no município em um futuro próximo.

“A reunião foi bastante positiva com o prefeito Douglas, infelizmente a questão ainda esbarra nos decretos do estado mas a gente acredita que possivelmente melhorando a situação do município, em relação a pandemia, a gente poderá retomar os trabalhos”, explica.

João Paulo, porém, lamenta o fato de que a classe que ele representa não consegue trabalhar há mais de 50 dias, potencializando a crise vivida por famílias inteiras. O músico, em entrevista exclusiva para o Portal MaisVip, garantiu também que não apenas os artistas, mas também seguranças, cozinheiras e garçons sofrem com os reflexos econômicos da pandemia do novo coronavírus. “Nós sabemos que o nosso segmento foi primeiro a parar e vai ser o último a voltar, mas a gente acha também que existem soluções para voltarmos aos poucos”, garante.

Prefeitura depende de Zema

Segundo o prefeito Douglas Willkys, a flexibilização de setores da economia, incluindo o entretenimento e suas ramificações, depende da deliberação estadual gerida pelo governador Romeu Zema. O chefe do Executivo pontua, porém, que entende o drama passado por parte da população e que dialoga com autoridades buscando uma solução que garanta a manutenção de empregos ao mesmo tempo que respeite as medidas sanitárias cabíveis.

“Nós entendemos que as pessoas não querem nada além de volar a trabalhar e isso é digno, só que infelizmente diante do cenário de pandemia as vedações que o estado tem feito nas deliberações n° 17 e n° 39 deixa o município limitado de fazer algumas autorizações”, conta.

Publicações relacionadas