Procura por carro de som aumenta durante a pandemia

 Procura por carro de som aumenta durante a pandemia

A quarentena e o isolamento social foram responsáveis pelo cancelamento de muitos planejamentos, especialmente festas e reuniões. As pessoas precisaram de criatividade para não deixar que datas especiais, aniversários e outros momentos especiais passassem em branco.

Foi aí que uma moda comum nos anos 1990 voltou à tona: os carros de som com homenagens. Que jeito melhor de alegrar algum parente ou amigo sem precisar quebrar a quarentena?

A ex-BBB Gizelly Bicalho, por exemplo, caiu nas graças da brincadeira. Desde que saiu da casa, a advogada já recebeu dois carros de som com homenagens em frente ao seu portão.

Kariane Alves, dona da Love Car – Loucuras de Amor, em São Paulo, viu a procura crescer durante a pandemia. O Dia das Mães deste ano foi mais movimentado do que nunca: 17 homenagens ao longo do dia. “Ano passado, fizemos só dez. Nem consegui atender a tantos pedidos. Comecei em Taboão da Serra e acabei em Mogi das Cruzes”, festeja Kariane. “É triste pelo que estamos passando, mas é prazeroso porque vemos que estamos contribuindo para homenagear quem está em casa protegido.”

Ela conta que, quando as primeiras notícias sobre a covid-19 começaram a se espalhar, os pedidos caíram drasticamente, mas conforme as semanas passaram e as festas foram sendo canceladas, o volume aumentou. Mesmo caso de Elaine Matheus, proprietária da Loucura de Amor Top há 15 anos.

“Como o brasileiro é criativo, o carro substitui a presença da pessoa. Antes, o carro era parte da festa. Agora, não temos mais a festa, mas o carro pode passar as mensagens para o homenageado”, explica Elaine.

Mesmo sendo uma alternativa durante a pandemia, os cuidados foram redobrados para evitar o contágio. “A gente desinfeta o carro inteiro e, quem contratou a homenagem, pode assistir ao momento de dentro do carro dele também”, explica Elaine.

“Sempre temos álcool-gel por perto e os clientes precisam usar máscara. Antes, deixávamos eles falarem suas mensagens no microfone, mas agora pedimos para enviar os áudios para não ter esse contato”, conta Kariane.

Os homenageados conseguem assistir tudo de dentro de casa ou até mesmo pela varanda dos prédios, como foi o caso de Jacqueline Roman, que preparou a surpresa para a mãe, Maria, e a avó, Camila.

“Tive a ideia junto com a minha irmã. Nos emocionamos muito, foi lindo ver a filmagem da reação delas. Um momento único”, relembra Jacqueline. “É triste não podermos abraçá-las, principalmente porque somos uma família muito unida. É uma sensação boa, mas ao mesmo tempo de apertar o coração.”

Brunna Leonor, moradora do Tatuapé, também em São Paulo, resolveu homenagear a sogra, Olga, que está sozinha em seu apartamento desde o início da pandemia. “A mensagem serviu como um abraço. Ela se emocionou muito. Nunca a vi chorando tanto. Os vizinhos também se divertiram e dançaram”, relembra. “Quis escrever uma mensagem para quem perdeu a mãe como eu. Ao invés de ficar triste em casa, essa foi uma maneira de alegrar meu dia também.”

Não é só em aniversários e datas especiais que os carros são solicitados. Os pedidos acontecem para chás de bebê e até para reconciliações de casais, especialmente agora que a quarentena dificultou a convivência.

Fonte: UOL entretenimento

Publicações relacionadas

X